quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Locutores aceitaram o desafio do 1º Medida Certa da Regional FM

Por Joabe Reis
Hawyckson Mendes, Kassya Ravene, Ivânia lúcia e Lindinalva Reis, integrantes da família Regional 91.3 FM da cidade de Uruará iniciaram uma luta contra a balança, em favor da própria saúde, no desafio Medida Certa da Regional FM. Durante 15 dias o quarteto estará submetido em uma dieta especial em busca de redução de peso. O desafio teve início no dia 24 de agosto e vai até o dia 9 de setembro de 2015. Os desafiados começaram a dieta com peso de massa corporal: Hawyckson Mendes 96kg (locutor), Kassya Ravene 83kg (locutora), Ivânia Lúcia 69kg (locutora), Lindinalva Reis 78kg (servente).
O 1º Medida Certa da Regional FM é extremamente econômico. No final do desafio será revelada a dieta a qual o quarteto foi submetido.

sábado, 22 de agosto de 2015

Dois são presos em Uruará na operação ‘Amazônia Legal’ deflagrada neste sábado pela Policia Civil do Pará

Por Joabe Reis
Policiais Civis lotados na Delegacia de Polícia Civil de Uruará, IPC José Tadeu, IPC Eládio Cruz e EPC Ivan, sob o comando do Delegado Titular, Walison Damasceno, em cumprimento de mandado de prisão, prenderam na manhã deste sábado (22), por volta das 06h00, o nacional, Eudenberto Sampaio de Souza , o Beto, e o nacional, Elton Junior Santos de Castro, acusados de participarem de um esquema que fraudava o sistema eletrônico do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Eles seriam integrantes de uma quadrilha que atuava no estado. As prisões foram feitas na Operação ‘Amazônia Legal’ deflagrada pela Polícia Civil do Pará neste sábado, onde 12 pessoas envolvidas no esquema de fraudes de créditos florestais foram presas no estado do Pará, no Maranhão e em Alagoas.
A operação deflagrada neste sábado foi realizada nos municípios de Belém, Santarém, Redenção, Uruará, Tucuruí e Novo Progresso, além de Maceió (AL) e Itinga (MA). Elas são acusadas de fraudes no sistema de créditos florestais da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).
Segundo a polícia, a quadrilha usava hackers para invadir o sistema de controle de extração madeireira do Ibama e fraudar os registros que autorizam o transporte de madeira. Com isso, o grupo conseguia desbloquear o acesso de madeireiras para o transporte ilegal.
Em um dos casos, bandidos se passaram por superintendentes do Ibama no Pará, em Brasília e também no Rio Grande do Sul, e usando documentos falsos, conseguiram trocar as senhas junto a empresas de certificação digital para conseguir desbloquear o acesso das madeireiras.
O Delegado Walison Damasceno falou sobre as prisões realizadas em Uruará. “No município havia duas pessoas que estavam com suas prisões decretadas. Nós obtivemos êxito no cumprimento dos mandados e essas pessoas foram presas. Esses mandados são oriundos da Vara de Organização Criminosa de Belém. O crime investigado envolvia fraude no Sisflora, créditos florestais que as pessoas estavam vendendo de forma fraudulenta e no esquema empresas que estavam bloqueadas no Ibama e na Sema eram desbloqueadas. A fraude já vinha ocorrendo há algum tempo e o prejuízo para o estado está em torno de 11 milhões de reais pelo o que até agora foi apurado. As investigações vem sendo desenvolvidas há quase 1 ano. E neste sábado foram 12 pessoas presas. Segundo o que foi apurado nas investigações as duas pessoas presas em Uruará atuavam na venda dos créditos, eles tinham créditos de madeira e emitiam as notas com esses créditos de forma fraudulenta”, disse o delegado.
Eudenberto Sampaio de Souza , o Beto, e, Elton Junior Santos de Castro foram encaminhados na tarde deste sábado para Santarém de onde serão conduzidos para a Delegacia Geral da Polícia Civil em Belém onde ficarão a disposição da justiça.

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Milhares saem às ruas Por Um Uruará Melhor

Milhares saem às ruas Por Um Uruará Melhor
Por Joabe Reis
Segurança, Compromisso, Administração, Transparência. Encabeçam as reivindicações da sociedade organizada e população em geral do município de Uruará em decorrência da insatisfação de todos com a maneira como o município está sendo administrado, com o descaso e abandono em que se encontra a zona urbana e zona rural do município.
Nesta sexta-feira, 21, a insatisfação com a falta de segurança, falta de medicamentos nas unidades de saúde, falta de coleta de lixo, péssimas condições das ruas, salários atrasados de servidores, entre outros, levou milhares de uruaraenses vestidos de branco a saíram às ruas da cidade na Passeata Por Um Uruará Melhor. Cerca de 90% do comércio fechou as portas em adesão ao movimento e diversas categorias de servidores se uniram a população no protesto pacífico. A concentração do movimento ocorreu em frente a Câmara de Vereadores. Com faixas e cartazes os manifestantes perfizeram o percurso passando por ruas de chão com muita poeira até chegarem em frente ao Fórum do município onde uma carta reivindicatória contendo todas as reivindicações da população de melhorias para o município foi entregue a promotoria de justiça e judiciário local, o mesmo documento também foi entregue a Câmara de Vereadores.
Entre outras reivindicações estão: segurança, transparência na administração pública, efetividade na aplicação dos recursos, e compromisso com o povo uruaraense. Requerendo apoio e atuação efetiva das autoridades competentes em prol de mudanças urgentes no município de Uruará em tudo que se refere a qualidade de vida e direitos constitucionais dos cidadãos do município.
Segundo a Polícia Militar 5 mil pessoas participaram da Passeata. Que se encerrou por volta das 11 horas.
O Juiz da Comarca de Uruará, Vinícius de Amorim Pedrassoli, recebendo e assinando o documento entregue pelo movimento contendo as reivindicações da população 

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Tabaco cai por tráfico de droga em Uruará

Em cumprimento de Mandado de Busca e Apreensão Domiciliar e Pessoal a Polícia Civil de Uruará prendeu nesta terça-feira, 18, o nacional José Arnaldo Gonçalves da Silva, 44 anos, vulgo Tabaco, acusado de tráfico de droga.
A prisão aconteceu na residência do acusado, na Rua Tiradentes, Bairro Industrial, zona nordeste da cidade de Uruará, e foi efetuada pelo IPC Eládio Cruz, IPC José Tadeu e EPC Ivan. O serviço de inteligência da Polícia Civil já vinha monitorando os passos de José Arnaldo há alguns meses. Após reunir provas suficientes os policiais civis apresentaram a justiça e o juiz titular da comarca de Uruará, Vinícius de Amorim Pedrassoli, expediu imediatamente um Mandado de Busca e Apreensão Domiciliar e Pessoal. O acusado não resistiu a prisão e na delegacia confessou a prática de comercializar o entorpecente a 10 reais o valor da peteca da droga do tipo crack.
Com José Arnaldo a polícia apreendeu 30 gramas da droga, e substâncias que ele utilizava para a mistura na confecção do entorpecente, também foi apreendida uma arma de fogo de uso permitido uma 635mm. O acusado é deficiente físico, não tem uma das pernas que perdeu num acidente de trabalho e segundo a polícia ele usava as muletas para esconder a droga enquanto fazia a venda.
O Investigado de Polícia Civil, Eládio Cruz, contou como a polícia chegou a prisão do acusado. “Ele já estava há algum tempo praticando a venda de entorpecente na cidade e se tornou conhecido da polícia, e através do nosso trabalho de inteligência e investigações, reunimos provas e levamos ao juiz solicitando o mandado de busca e apreensão que nos foi concedido. Ao cumprirmos o mandado encontramos na residência do Tabaco uma certa quantidade de droga e a arma. A polícia civil segue combatendo o tráfico de drogas em Uruará”, disse o investigador.
José Arnaldo Gonçalves da Silva foi autuado em flagrante por tráfico e porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e está recolhido na delegacia de polícia civil de Uruará a disposição da justiça.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Exposição mostrou trabalhos realizados por alunos da Escola Ângelo Debiase no projeto Construindo Pontes e Descobrindo Mundos

Exposição mostrou trabalhos realizados por alunos da Escola Ângelo Debiase no projeto Construindo Pontes e Descobrindo Mundos
Alunos do 5º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Ângelo Debiase, na zona sul da cidade de Uruará, participaram do projeto de incentivo a leitura chamado Construindo Pontes e Descobrindo Mundos.
Os estudantes produziram textos, livros artesanais e pinturas em quadros, num modelo de projeto que poderia ser implantado em outras escolas do município e ser copiado pelas escolas de todo o país, dado o resultado final do desempenho de cada aluno participante do projeto.
Uma exposição montada tanto na érea externa quanto interna de uma das salas de aula da escola mostrou os trabalhos realizados pelos alunos nos dois primeiros bimestres letivo.
O projeto foi coordenado pelas professoras Regina Leite, Jania Lidia e Rosivania Debiase. A professora Regina Leite falou sobre o projeto e seus objetivos. “Nós sabemos que a tecnologia está avançada e muitas vezes nossos livros estão esquecidos e nós sabemos que só a leitura ela une as pessoas, liga um país ao outro. Hoje as crianças preferem a internet, preferem jogos e os livros estão mesmo esquecidos, então tem que ser resgatada essa leitura, pois nós temos hoje alunos na 8ª série  com bastante dificuldade e como nós estamos encerrando o ciclo do 4º ano/5º ano o objetivo é melhorar para que essas crianças vão para o 6º ano mais preparadas, lendo e escrevendo corretamente. O projeto veio exatamente para isso, pra resgatar, pra melhorar. Quando decidimos fazer mais um projeto de leitura foi no intuito de que esses alunos pudessem produzir, escrever, para melhorar a oralidade e a fala deles, o objetivo foi esse”, disse a professora.
Após abertura da exposição que contou com a presença de todas as turmas da escola do período da manhã, os alunos do 5º ano tiveram um reforçado café da manhã com direito a frutas, pão, bolo e sucos.
Parabéns a Escola Ângelo Debiase e as organizadoras do projeto pela importante iniciativa.

Colisão entre caminhonete e moto pop deixa vítima fatal na Transamazônica, próximo a Uruará

Por Joabe Reis
Na noite deste domingo, 16, uma colisão entre caminhonete e motocicleta pop tirou a vida de um jovem do município de Uruará na Transamazônica (BR 230). O acidente aconteceu por volta das 21 horas no km 170, a 10 km da sede do município. O jovem seguia no sentido cidade de Uruará enquanto a caminhonete, que tinha ao volante uma mulher, seguia no sentido contrário. A intensa poeira e más condições da estrada de chão podem ter favorecido ao ocasionamento do acidente. A vítima, Lucas de Souza Ribeiro, 24 anos, que conduzia a moto pop,  morava no travessão do km 170, teve fratura exporta na perna e fraturou o pescoço morrendo no local.
A Polícia Militar, através da sargento PM Rita Costa, e Polícia Civil, através do IPC José Tadeu, IPC Eládio Cruz e EPC Ivan, estiveram no local. A motorista não teve ferimentos e deve prestar esclarecimentos na delegacia nesta segunda-feira, 17.

sábado, 15 de agosto de 2015

Dupla de Uruará, assaltante de cerealista é presa em Medicilândia

Loirinho MAILSON RAMOS DA SILVA. Moreno da foto LEANDRO OLIVEIRA MONTEIRO
Por volta das 10:00 horas deste sábado, 15, houve um assalto a uma cerealista no centro da cidade quando dois indivíduos armados levaram uma certa quantidade em dinheiro e joias.
De imediato após a ação dos bandidos a guarnição da PM saiu em busca dos acusados que haviam fugido em direção do km 120, sentido Medicilandia/Uruara, e no km 130 os policiais conseguiram alcançar os meliantes e em seguida lograram êxito fazendo a prisão dos mesmos e recuperando o dinheiro roubado junto com joias e o veículo utilizado no assalto.
Foi preso o nacional MAILSON RAMOS DA SILVA, 22 Anos e o nacional LEANDRO OLIVEIRA MONTEIRO, 28 Anos. Os dois são foragidos de Tucurui e têm várias passagens por diversos crimes, atualmente estavam residindo em Uruará.
Os acusados são suspeitos de terem feitos outros assaltos em cerealistas da região. A dupla foi apresentada a autoridade policial em Medicilândia para os procedimentos cabíveis.

Polícia Civil recupera moto e objetos furtados escondidos em residência do Bairro Aeroporto

Por Joabe Reis
Investigações realizadas por policiais lotados na Delegacia de Polícia Civil do município de Uruará levou a descoberta de um esconderijo de produtos furtados na sede do município. Numa casa que fica localizada no Bairro Aeroporto, zona leste da cidade, a polícia encontrou escondida dentro do quarto, no interior da residência, uma moto pop preta, ano 2012, chassi final 9232, que é roubada/furtada, o veículo pertence a Elisane Bispo do Nascimento, pelo o que apurou a polícia. Na residência ainda foi encontrado máquina de lavar, uma TV, entre outros objetos. A proprietária da TV, que havia registrado o beletim de ocorrência do furto do aperelho há aguns meses, já compareceu na delegacia para receber o eletrodoméstico de volta.
A casa era alugada pelo acusado de cometer os furtos, o nacional Francimar Pereira da Silva, 35 anos, que está foragido. A polícia descobriu o local depois de ser informada de que o acusado havia seduzido e carregado uma adolescente de 16 anos, que é filha de um pastor de uma igreja da cidade a qual ele frequentava. O investigador de polícia civil, IPC José Tadeu, desconfiou da situação em que o acusado não trabalhava, mas estava sempre com dinheiro e passou a investigá-lo. Segundo informou o investigador, na quarta-feira, 12 de agosto de 2015, Francimar deixou sua moto CG já bem castigada (velha) na oficina, pagou o concerto e induziu o dono da oficina a emprestar sua moto que seria do tipo XTZ, no mesmo dia o acusado pegou a filha do pastor e fugiu da cidade pela Transamazônica no sentido ao município de Altamira.
Neste sábado, 15, ao chegar na casa onde os objetos estavam escondidos os policiais, José Tadeu e Eládio Cruz, encontram uma mulher que foi conduzida para a Delegacia. Segundo contou a mulher, Francimar é seu amigo há bastante tempo e permitiu que ela ficasse na casa, que já estava com o aluguel pago, enquanto ela arrumava um emprego e disse também que veio do município de Breu Branco para Uruará e que viu o acusado em Pacajá onde ele lhe entregou a chave da casa. Ainda segundo ela, Francimar não havia mencionado sobre os objetos roubados nem o que ele andava fazendo em Uruará. De acordo com o IPC José Tadeu, a mesma será autuada por receptação.
O trabalho de investigação da Polícia Civil continua a fim de desbaratar o bando que anda furtando as residências da cidade de Uruará. Segundo o IPC José Tadeu, pelo menos mais dois elementos, além de Francimar, atuam na referida prática criminosa. A polícia ainda apura se Francimar Pereira da Silva é mesmo o nome do acusado, já que o mesmo pode ter outro documento de identificação e outro nome.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Crise econômica chega ao setor cacaueiro e afeta compra de cacau no município de Uruará

A crise financeira afeta os compradores de cacau do município de Uruará e municípios da região. Cerealistas que compram cacau no município de Uruará informaram que ninguém está comprando mais o cacau.
Jacy Vargas, que trabalha com compra da amêndoa numa Cerealista, disse que tem muita produção de cacau na região, mas a crise afetou o mercado. “Produziu muito na região, mas não temos verba para pagar o produtor e com as agências financeiras fechadas (Banco do Brasil e Amazônia), a situação fica mais difícil. A verdade é que não temos mais como comprar o cacau”, disse.
Jonildo Fialho, também do ramo de compra de cacau em Uruará, disse que as empresas que compram cacau da região superlotou. Ninguém mais quer comprar. “O prejuízo é grande. As empresas Cargill e Barry Callebaut, passa até 10 dias com os caminhões para descarregar. Eles não estão mais recebendo mais o cacau. A produção aumentou, mas ninguém compra”, disse.
Os produtores de cacau não sabem como vai fazer para vender o cacau, como é o caso do agricultor Francisco José de Araújo, que trabalha na vicinal do km 175 sul. “Está difícil para vender o cacau. Estamos esperando mais de 15 dias para poder vender às cerealistas em Uruará. Ninguém quer comprar. A situação está triste. Não estamos conseguindo vender. Não sabemos o que fazer”, disse o produtor.

É estável estado de saúde do trabalhador perfurado por pedaço de madeira em acidente ocorrido numa serraria de Uruará

O Hospital Regional Público da Transamazônica (HRT) enviou nota a Regional FM de Uruará informando sobre o estado de saúde do trabalhador, Manoel Jackson da Silva Queiroz, 35, que foi vítima de um acidente que ocorreu na tarde desta terça-feira, 11, que estava exercendo sua função numa Serraria onde trabalha quando inesperadamente um pedaço de madeira escapuliu do processo de serragem e atingiu o trabalhador atravessando o seu abdômen.  O acidente ocorreu no meio da tarde e Manoel foi retirado de helicóptero saindo de Uruará por volta das 17 horas e 30 minutos sendo levado para o HRT.
Segundo a nota o estado de saúde do trabalhador é estável.
Nota á Imprensa
O paciente Manoel Jackson da Silva Queiroz, vitíma de um acidente de trabalho, oriundo do município de Uruará, está internado no Hospital Regional Público da Transamazônica, para onde foi transferido pelo Grupamento Aéreo de Altamira. Ele sofreu perfuração na região pélvica por um pedaço de madeira. Atendido na urgência/emergência do hospital no dia 11/08, o paciente passou por cirurgia e segue internado,  recebendo todo atendimento necessário para sua recuperação; está consciente e seu estado de saúde é estável.
A nota foi assinada pela jornalista Irailda Barros, responsável pela Assessoria de Comunicação do HRT.

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Cerca de 1.300 famílias de agricultores de Uruará, Placas e Altamira, perderão suas propriedades para a reserva indígena Cachoeira Seca

 Cerca de 1.300 famílias de agricultores de Uruará, Placas e Altamira, perderão suas propriedades para a reserva indígena Cachoeira Seca
Conflito prestes a explodir em Uruará na área da linha vermelha - FUNAI e INCRA faz levantamento das famílias que vivem na demarcada área indígena Cachoeira Seca para efeito de indenização do governo federal das mais de 1.300 famílias que deverão ser retiradas de suas propriedades produtivas.
Uruará está na iminência de um conflito agrário de grandes proporções entre agricultores e Governo Federal. O processo resultará na desapropriação de mais de 1.300 famílias, ou seja, cerca de 5 mil trabalhadores. Estas famílias de agricultores serão impactadas diretamente com a futura homologação da já demarcada área indígena Cachoeira Seca, localizada ao lado Sul dos municípios de Placas, Uruará e Altamira. São centenas de famílias que há pelo menos 3 décadas vivem e produzem em propriedades que agora estão localizadas na chamada Linha Vermelha e que passaram a ser consideradas Terra Indígena.
A equipe está acampada Transiriri, travessão 185 sul (Vila Canaã), município de Uruará, onde montaram uma base para os trabalhos.
Segundo o coordenador da Fundação Nacional do Índio (FUNAI), José Raimundo, já foi feito o levantamento de 700 famílias que vivem na área e a FUNAI e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), prosseguem fazendo o levantamento de vistorias para indenização das benfeitorias que estão inseridas na referida Reserva Indígena. “Iniciamos o trabalho no dia 02 de julho deste ano, nos travessões do km 175 e 180, ficando alguns moradores em função do cadastramento do INCRA. Este trabalho visa levantar as benfeitorias existentes conforme a exigência do Governo Federal. Já fizemos o levantamento de 700 famílias levantadas. Ao todo, temos um dado de 1.300 ocupações na terra indígena”, explicou.
O coordenador da FUNAI disse ainda que a terra indígena já passou pelo processo de identificação, delimitação e demarcação. O trabalho realizado agora é para efeito de homologação da Presidência da República. “Queremos tranqüilizar os moradores da área da Linha Vermelha. Não será uma retirada imediata. Iremos vistoriar as benfeitorias existentes, para depois, fazer a possível indenização por parte do Governo Federal. O trabalho que estamos fazendo é transparente e pedimos que os moradores autorize os técnicos a fazer os trabalhos em suas propriedades”, solicitou.
Já o coordenador do Incra, Celso Moqizuki, disse que o Instituto está fazendo apenas o cadastramento das famílias. “Iremos colocar estas pessoas no Sistema de Informações de Projetos de Reforma Agrária (SIPRA) e se forem aprovados, terão a possibilidade de reassentamento dessas famílias em outra localidade”, disse.
Segundo informou ainda o coordenador do INCRA não foi estipulada uma área para reassentar as famílias. “Não temos uma área apropriada para reassentar as famílias. Mas assim que tivermos o número de famílias cadastras, até lá, já teremos um local para serem remanejadas estas famílias”, revelou.
A equipe da FUNAI e INCRA ficara até o dia 23 de setembro, conforme portaria do Governo Federal. “Caso não seja completada o cadastramento das famílias, uma nova portaria será baixada para até meados de novembro e dezembro. Mas uma coisa é definida, este ano termina o cadastramento”, explicou José Raimundo.
O município de Uruará será bastante prejudicado com a retirada desses produtores, sendo a referida área responsável por cerca de 40% da produtividade agrícola e pecuário do município.
 Reunião realizada Na Vila Canaã que discutiu o assunto quando houve a presença da Ministra Miki
O QUE DIZEM OS MORADORES DA ÁREA DENOMINADA LINHA VERMELHA - Para os moradores, trata-se de uma decisão impositiva e arbitrária, uma vez que agricultores, prefeituras, Câmara Municipal e sindicatos rurais e patronais afirmam que não é terra indígena a referida área demarcada onde se encontram as centenas de famílias residindo há mais de 30 anos.
Os habitantes estão determinados em permanecer nas propriedades e dizem que “de lá só sairão mortos”. Os produtores que residem além da denominada ‘Linha Vermelha’ estão apreensivos, pois, com a demarcação, perderão suas terras cultivadas há cerca de 3 décadas. Sem ter para onde ir e sem qualificação profissional para atuarem em outras áreas, um caos social pode ser desencadeado, se for dada a eles apenas a sede do município como opção e não houver emprego com que sustentem a família. A resistência por parte dos produtores tem como base as diversas declarações dos representantes dos menos de cem índios da tribo dos Araras, etnia que reside nas terras em questão. Em reuniões com a comunidade, o cacique dos Araras teria deixado claro que não tem a intenção de ocupar uma terra já utilizada com lavouras, cercas e currais, que não serve aos seus propósitos e que não abriria mão da área chamada ‘Olhões’, que fica a uma distância considerável do local requerido. O cacique também teria afirmado que a demarcação trará mais benefícios para a Funai do que aos índios, uma vez que não existiria “conflito” entre índios e posseiros - muitos deles já teriam, inclusive, recebido a posse da terra pelo Incra, assim como financiamentos para melhorias nas áreas.
 Reunião na prefeitura municipal de Uruará em 2011 com o então prefeito Eraldo Pimenta e presença da Ministra Miki
AUDIÊNCIAS REALIZADAS - A sociedade civil organizada teme que a situação atinja o limite extremo. Preocupados, um dos defensores das famílias da área, o deputado Estadual, Eraldo Pimenta (PMDB), ainda quando prefeito fez várias audiências, inclusive trazendo para Uruará, na época (Junho de 2011) a Ministra da Secretaria Nacional de Segurança Pública, Regina Miki. Entre outras audiências Eraldo Pimenta, junto aos presidentes da Câmara Municipal, dos sindicatos rural e patronal e secretário estadual de Pesca, estiveram em Brasília, com os ministros da Justiça, Casa Civil, entre outros, para cobrar e exigir que a situação seja revista.
Até o momento o governo federal tem fechado os olhos para todas as alegações e cobranças já feitas, mantendo assim a iminente homologação da referida Reserva Indígena Cachoeira Seca. 

terça-feira, 28 de julho de 2015

Sindicato dos produtores rurais de Uruará é arrombado e revirado por bandidos

Sindicato dos produtores rurais de Uruará é arrombado e revirado por bandidos
Por Joabe Reis
Na noite desta segunda-feira, 27, o Sindicato dos Produtores Rurais de Uruará teve a porta dos fundos arrombada e suas salas reviradas.
Os bandidos arrombaram a fechadura e entraram no prédio. As gavetas das mesas foram abertas e arquivos foram revirados. Funcionários do sindicato encontraram o local revirado ao chegarem para trabalhar na manhã desta terça-feira, 28.
O caso foi registrado na Delegacia de Polícia civil do município. O investigador de polícia civil (IPC) José Tadeu foi até ao local onde fez os primeiros levantamentos investigativos. De imediato foi notado o sumiço de R$ 500,00 em dinheiro, mas ainda será averiguado se talões de cheques, inclusive com folhas assinadas, e outros documentos e objetos foram levados pelos bandidos.
                IPC José Tadeu no local
O sindicato fica localizado no Bairro Vila Brasil, zona norte da cidade de Uruará, numa rua que é bastante escura durante a noite e prédio do sindicato é monitorado por um sistema de segurança e não conta com um vigia.
A polícia civil investiga o caso.

sábado, 25 de julho de 2015

Mayrla Moura de Uruará fica em 4º lugar no Miss Pará 2015

Por Joabe Reis
A representante do município de Uruará, Mayrla Moura, ficou entre as 5 finalistas do concurso Miss Pará 2015, Mayrla foi a única representante da região oeste do Pará entre as 5 finalistas.
A representante uruaraense ainda ficou com o título de Miss Fotogenia (aquela que foi a mais fotogênica de todas as Miss).


A candidata de Vitória do Xingu, Aline Franco, ficou com o título de Miss Simpatia.
Chegaram a final as candidatas: Miss Xinguara, Miss Uruará, Miss Marituba, Miss Belém e Miss Ananindeua.
Foi eleita Miss Pará 2015 a candidata de Belém, Carolinne Ribas.  
A representante do município de Uruará ficou em 4º lugar no concurso.
Parabéns Mayla Moura, pois você representou muito bem a beleza das mulheres uruaraenses.
Foi a primeira vez que o município teve uma representante no Concurso Miss Pará, esta que foi a 60ª edição do concurso.
Após encerramento do concurso Mayrla Moura conversou conosco e contou da emoção de ficar entre as 5 finalistas. 
Para mim foi um motivo de muita alegria, eu estou feliz por ter conseguido chegar nessa colocação, claro que a gente batalhou pra ficar em primeiro lugar pra levar essa coroa, mas como não foi dessa vez mesmo assim eu fiquei muito feliz porque é o primeiro ano que eu participo, quase não tive preparação, foi mais ou menos um mês e meio que estive participando dos preparativos do concurso aqui em Belém, e assim, eu não tive nem uma preparação física nem psicológica, por isso fiquei muito feliz por ter ficado em 4º lugar”, disse a representante do município de Uruará.
Mayrla Moura deve chegar a Uruará na segunda-feira, 27, e como uma das 5 finalistas ela terá compromissos a ser cumpridos com o Miss Pará. 
A representante uruaraense passou 10 dias em confinamento junto com as demais candidatas. “Eu sou outra pessoa depois desse confinamento, eu aprendi muito no Miss Pará”, confessou a beldade.
Ao todo foram 29 candidatas participantes do concurso Miss Pará 2015.
Mayrla cogitou voltar a participar do concurso em 2016. “Eu gostei da experiência e vou batalhar para que no ano que vem eu possa estar novamente representando o meu município e quem levar essa cora”, disse.
Mayrla Moura tem 21 anos e é uruaraense de nascimento.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Assaltante é baleado durante assalto na zona oeste da cidade de Uruará

Assaltante é baleado durante assalto na zona oeste da cidade de Uruará
Por Joabe Reis
Bandido acabou levando a pior. No início da noite desta quinta-feira, 23, um elemento armado praticava assaltos a comércios da cidade de Uruará quando ao tentar assaltar um comércio do Bairro Jardim Morumbi (zona oeste da cidade) acabou sendo alvejado por popular de identidade desconhecida. Trata-se do nacional Carlos Henrique de Oliveira, 26 anos, morador do Bairro Tucuruí, seus familiares moram no km 190, de acordo informou a Polícia Civil.
De acordo com informações do delegado Walison Damasceno da polícia civil do município, o meliante havia assaltado 2 estabelecimentos comerciais na zona leste. Ainda de acordo com o delegado o assaltante foi ferido na coxa e está hospitalizado, após sair do hospital o mesmo irá direto para trás das grades e será autuado em flagrante por roubo. Ele ainda foi atingido por mais dois disparos, sendo um no ombro e um no rosto, todos os 3 tiros no lado esquerdo do corpo.
Segundo um dos proprietários dos comércios assaltados o elemento havia subtraído cerca de R$ 2.200,00 reais em dinheiro dos dois estabelecimentos que ele havia assaltado.
Segundo a Polícia Militara a guarnição de serviço foi até o local, no Bairro Jardim Morumbi, socorreu o meliante e levou o mesmo para o hospital municipal, para receber os procedimentos médicos, sendo que o mesmo não corre risco de morte, foi encontrada com o mesmo um revólver calibre 38”, com 03 munições intactas, um celular e uma carteira porta cédulas com o RG do indivíduo e uma quantia de R$ 69,00 reais, sendo que a motocicleta e a mochila com os produtos dos assaltos anteriores, não foi encontrado, haja vista quando a guarnição chegou no local, havia uma grande aglomeração de populares no local, e ninguém soube informar sobre a moto e a mochila, a guarnição realizou buscas aos arredores do local, mais sem êxito. 
O acusado Carlos Henrique de Oliveira ficará no Hospital Municipal em observação.

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Uruará terá representante no Miss De Las Américas

Por Joabe Reis
O município de Uruará já tinha pela primeira vez em sua história colocado uma representante no concurso Miss Pará Universo (Mayrla Moura), agora também terá pela primeira vez uma representante no concurso Miss Pará De Las Américas, a concluinte do Ensino Médio, Patricia Carrero.
No sábado, 11, as candidatas do estado do Pará no Miss De Las Américas se reuniram na cidade de Altamira para apresentação e lançamento do concurso 2015. Altamira sediará a grande final do concurso que ocorrerá no mês de setembro.

A representante do município de Uruará, Patricia Carrero, gentilmente atendeu ao nosso convite e nos respondeu algumas perguntas sobre ela e o concurso em entrevista ao ar livre na Praça da Bíblia, no centro da cidade.
Joabe Reis: Qual é o seu sentimento de representar o município de Uruará?
Patricia: Representar o município de Uruará pra mim é uma grande vitória e é um prazer muito grande também, porque eu estava buscando isso já há bastante tempo. E agora que eu consegui eu estou muito feliz de estar representando Uruará.
Joabe Reis: Quais são seus objetivos pessoais e profissionais que você almeja atingir?
Patricia: Eu pretendo estudar moda, é o que eu gosto de fazer, quero fazer artes cênicas porque é com o que eu me identifico. Eu gosto bastante de comunicação, então eu pretendo fazer essas duas faculdades.
Joabe Reis: Do que a Patricia mais gosta no dia-a-dia?
Patricia: Bom, eu gosto muito de malhar, eu não saio da academia, quiser me encontrar me procure na minha academia que eu estarei lá (risos) é aonde eu passo a maior parte do meu tempo.
Joabe Reis: O que te motivou a participar do concurso? Como isso aconteceu?
Patrícia: Então, eu conheci o Weslley, que é o coordenador também do concurso Miss Pará Universo, e ele está coordenando esse evento agora e me convidou, e aí a gente foi conversando e se conhecendo e foi assim que eu consegui.
Joabe Reis: Como você se define?
Patricia: Eu me defino uma pessoa simpática, comunicativa, amiga, é isso.
Joabe Reis: Quais os procedimentos a partir de agora?
Patricia: Então, no dia 25 (de julho) retornarei a Altamira, vamos ensaiar passarela com todas as representantes de cada município, e ainda serão marcados os eventos seguintes no decorrer do concurso.

Patricia Carreiro ainda falou sobre a necessidade de ter patrocinadores, ela ainda revelou que haverá uma etapa de eliminação do concurso na cidade de Uruará. 
Eu estou em busca de patrocinadores, porque a gente precisa muito de apoio, pois haverá várias viagens, e preciso de várias outras coisas como maquiagem, vestuário e salão de beleza. Vamos visitar as cidades de cada representante, inclusive as misses virão até Uruará quando ocorrerá uma etapa de eliminação através de uma gincana e as que tiverem menos pontuação serão eliminadas até chegar a final em setembro quando será escolhida a vencedora do concurso”, contou.

A loira de olhos verdes costumava jogar futebol até os seus 14 anos de idade. “Amo futebol, assisto sempre os jogos do São Paulo”, disse sorridente.

Dona de grande beleza Patricia é uma das candidatas favoritas a ficar com o título de Miss Pará De Las Américas, o que ocorrendo ela irá representar o Pará no Miss Brasil De Las Américas a ser realizado em Curitiba (PR). 
Detalhes da candidata de Uruará
Nome: Patricia da Silva Carrero de Oliveira
Data de nascimento: 13/07/1996
Idade: 19 anos
Signo: Câncer
Altura: 1,69 m
Naturalidade: Tangará da Serra (MS)
Nome da mãe: Sidelvania Sousa da Silva
Mora em Uruará desde: 2012
Comida preferida: Macarrão
Música: Eletrônica
Cor: Vermelho
Filme preferido: Sempre ao seu lado
Time que torce: São Paulo

Desejamos a você Patricia Carrero muita sorte, estamos torcendo por seu sucesso.


Serão dois importantes concursos que o município de Uruará estará participando com duas belíssimas candidatas.