quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Aumento da gasolina e óleo diesel impactou o bolso do consumidor uruaraense

Aumento da gasolina e óleo diesel impactou o bolso do consumidor uruaraense

Por Cirineu Santos do Sistema Regional de Comunicão 

Aumento da gasolina e óleo diesel impactou o bolso do consumidor uruaraense
Proprietários de postos de gasolina e clientes no município de Uruará falam sobre o assunto e reclamam do aumento dos combustíveis.
A Petrobras anunciou na última quinta-feira (6) o aumento do preço de venda nas refinarias de 3% para a gasolina e de 5% para o diesel. A tributação sobre os combustíveis foi elevada a partir de domingo (1º), conforme decreto presidencial publicado no "Diário Oficial da União". 
De acordo com o Fisco, o impacto do aumento seria de R$ 0,22 por litro para a gasolina e de R$ 0,15 para o diesel. Porém, o aumento variou em postos diferentes.
O aumento da gasolina impactou no bolso do consumidor. Os postos de gasolina em Uruará tiveram queda de clientes considerada, como explicam os proprietários dos postos da cidade. 
Segundo o proprietário do Auto Posto Dado, Julio Cezar Farias Dias, a demanda de venda caiu muito. “A gente fica triste com a notícia. Caiu muito à demanda de cliente. Ainda mais porque chegou ao período de inverno. Está muito difícil! Dá vontade de fechar as portas e ir embora”, disse. 
Para o proprietário do Auto Posto Estrela, Bruno Rafael Campelo Barros, o aumento do combustível trás um grande prejuízo para a região. “Depois que eu assumi o Posto, já teve quatro aumentos. Todos fomos prejudicados. Estamos à mercê do governo”, comentou. 
O gerente do Auto Posto Mandriki, Sérgio Henrique de Souza, disse que o aumento do combustível pegou todos de surpresa. “Fomos pegos de surpresas! E a tendência é diminuir o número de clientes, causando grande prejuízo para a região”, explica. 
O motorista Renato Aparecido Pereira, caminhoneiro há mais de 20 anos, morador do Bairro Pimentolândia, da cidade de Uruará, o aumento do petróleo causou grande impacto, lhe causando prejuízo considerado de mais de 800 reais. “Está ficando cada vez mais difícil fazer frete. Tivemos prejuízos de mais de 800 reais em cada viagem realizada”, comentou.  
Werli Inácio da Silva há mais de 18 anos na profissão de caminhoneiro disse que, em sua profissão nunca viu o preço do diesel aumentar tanto. “durante todo o tempo que trabalho como caminhoneiro, nunca vi o preço aumentar tanto. Nós pagamos um preço absurdo nesta região. Além do aumento do combustível temos as péssimas condições das estradas”, aponta. 
Reginaldo Francisco, do Estado de Minas Gerais, que trabalha como caminhoneiro há mais de 22 anos, disse que em nossa região o combustível ficou ainda mais caro, e, que não compensa mais fazer frete. “Eu viajo em todos os lugares do Brasil e o mais caro ficou aqui nesta região. O combustível sobe, mas, o frete não”, disse. 
Para o presidente da Cooperativa dos Taxistas de Uruará, Ariston Rosa dos Santos, o aumento do combustível refletiu negativamente para a população. “Isso traz um reflexo negativo para todos. O custo de manutenção de um veículo é alto, e, com o custo do aumento do combustível, este custo aumentou. Como não podemos ficar no prejuízo somos obrigados a aumentar na taxa de corrida, impactando no bolso do consumidor”, explica. 
A cooperativa dos Transportes Alternativos da Transamazônica, Cootait, maior empresa de transportes de pessoas desta região, também sofreu com o aumento do combustível. Segundo o motorista Sebastião Pedro Sales, este foi o maior impacto que a empresa teve, ainda mais porque o aumento do combustível chegou ao período do inverno. “Muita dificuldade nas estradas com a chuva. Estamos pagando caro com o combustível e fica difícil para todos”, explicou. 
Para a Associação dos motos taxistas de Uruará, é possível que a corrida também aumente. Josimar Augusto de Assis, presidente da Associação disse que cerca de 40 associados foram prejudicados. “Somos obrigados a aumentar mais o preço de uma corrida. Pois só na nossa associação foram 40 moto taxistas prejudicados”, concluiu.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Bandidos fortemente armados assaltam agência do Banco da Amazônia em Rurópolis

Bandidos fortemente armados assaltam agência do Banco da Amazônia em Rurópolis

Bandidos fortemente armados assaltam agência do Banco da Amazônia em Rurópolis
A audácia dos bandidos parece não ter limite na região da Transamazônica. Na manhã desta quarta-feira, 11, um bando fortemente armado invadiu a agência do Banco da Amazônia na cidade de Rurópolis (PA) e assaltaram a agência fazendo vários reféns, inclusive levando vários desses reféns na fuga. Durante a ação dos bandidos houve muitos tiros e a população ficou assustada. O bando fez um escudo humano em frente a agência enquanto recolhiam o dinheiro. 
Ainda não há informações sobre o valor levado pelos assaltantes.


Investigadores de Polícia Civil de Uruará reagem a assalto e matam assaltante em Belém

Investigadores de Polícia Civil de Uruará reagem a assalto e matam assaltante em Belém

Investigadores de Polícia Civil de Uruará reagem a assalto e matam assaltante em Belém
Um assaltante morreu e dois ficaram feridos após tiroteio na tarde desta terça-feira (10) no bairro do Umarizal, em Belém. De acordo com informações da Polícia Civil, os investigadores, Sílvio Alex e Célio Salvador, reagiram com tiros à abordagem de dois homens em uma motocicleta, durante uma tentativa de assalto.
Os dois assaltantes foram baleados e encaminhados ao Pronto Socorro do Umarizal, mas um deles não resistiu aos ferimentos e morreu. Um dos investigadores, Sílvio Alex, também foi atingido por um tiro de raspão no braço, mas está fora de perigo.
 Braço atingido do investigador Sílvio Alex
Os policiais civis envolvidos no caso são lotados na delegacia de polícia civil de Uruará, Pará e estavam de folga em Belém. Após o tiroteio, ambos se apresentaram na Divisão de Homicidios da Polícia Civil. 

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Prefeitura de Uruará fecha CEJAP e prejudica 400 alunos

Prefeitura de Uruará fecha CEJAP e prejudica 400 alunos
 Foto tirada ainda na época da administração do ex-prefeito Eraldo Pimenta
O Centro de Educação de Jovens e Adultos Personalizados (CEJAP), a partir desta segunda feira, dia 09 de fevereiro, terá suas atividades encerradas, prejudicando pelo menos 400 alunos da rede municipal de ensino que não terão onde estudar. 
A professora Florinda Maria Damo, há mais de 22 anos na educação em Uruará, disse estar bastante surpresa com a ordem da SEMED de fechamento do CEJAP. “Ficamos indignados com a notícia do fechamento do CEJAP. Por vários momentos queriam fechar este Centro, que em 1985 ainda chamava Unidade de Ensino Supletivo (UES) e, que em 2011 mudou o nome para CEJAP. Gostaria que as autoridades refletissem nesta decisão, especialmente olhasse para a situação do aluno. São alunos que dependem desta escola para sua formação e, onde muitos já estudaram um ano e vão perder seu tempo de estudo. Estou muito triste com esta notícia”, desabafou.
Quem também está indignado, é o professor Sólon Matos que falou sobre o quanto o CEJAP ajudou na formação de muitos alunos no Município. “O que mais dói é saber que os alunos do travessão irão ficar sem estudar, muitos vem de longe. Outra coisa é a questão do investimento aplicado aqui e agora recebemos esta notícia de encerramento das atividades. Este Centro que já formou muita gente”, disse. 
O professor Antonio Barbosa, conhecido como Toninho, recebeu com muita tristeza a notícia do CEJAP. “A notícia de encerramento do CEJA impactou a todos nós e alunos. Sugiro que a SEMED pense no caso e procure alternativas para atender os 400 alunos que ficaram sem estudar e sem perspectiva de continuação de ensino”, disse Toninho. 
O secretário Municipal Educação de Uruará, Wilson Nascimento, explicou que o fechamento do CEJAP no Município foi uma ordem do Governo do Estado e que não há possibilidade de manter em funcionamento o Centro de Educação de Jovens e Adultos Personalizados no Município. 
Segundo ele “o Estado sinalizou via documento que o CEJAP não se autoriza com a grade curricular desenvolvida. E para nós não é interessante transformar o CEJAP em EJA. Tivemos que fechar o Centro, mediante no futuro não podermos expedir a documentação dos alunos. Estamos estudando uma forma legal para que possamos atender, mas temos que fazer toda uma documentação”, disse.
O aluno Eli Gonçalves Ferreira, recebeu a notícia do encerramento do CEJAP com muita tristeza e disse estar revoltado com a atitude da Prefeitura. “Muito ruim receber esta notícia. Quando eu era novo não tive a oportunidade de estudar e, quando apareceu esta chance, me dediquei de corpo e alma. E, após um ano estudando, vem uma notícia desta, de que as atividades do CEJAP havia se encerrado. Estou muito revoltado! Uma administração que não se preocupa com a educação do Município. Estou indignado com este prefeito. Eu que sou pioneiro e vejo o município abandonado pela atual administração”, desabafou. 
O aluno Antonio Martins de Sousa, conhecido como Zicão, também manifestou sua indignação. “Aprendi muito com os professores do CEJAP. Mas fiquei surpreso com a notícia do encerramento do Centro. Sugiro que os responsáveis busquem alternativas e não nos deixe desorientados”, sugeriu. 
Por outro lado a Câmara Municipal de Vereadores foi pega de surpresa com a notícia. O vereador Zenilson Negão disse que estará tomando medidas cabíveis para que os alunos não sejam prejudicados. “O CEJAP é de fundamental importância para o Município. Beneficiou muitas pessoas, especialmente aos alunos da zona rural. O fechamento do CEJAP em Uruará é inaceitável. O Executivo tem que tomar providências para atender estes quatrocentos alunos e não deixá-los fora da sala de aula. Estaremos tomando medidas cabíveis para que os alunos não sejam prejudicados”, disse Negão. 
O vereador também criticou a administração municipal. “Estamos entrando no terceiro ano de governo e só tem demonstrado a falta de competência e falta de respeito com a população de Uruará. O prefeito não valoriza a educação. Não valoriza a saúde. Não tem compromisso com a população uruaraense”, disparou. 
O vereador Gilmar Milanski, ressaltou que assim que a Câmara Voltar suas atividades, dia 15 deste mês, será uma das primeiras pautas a ser colocada em discussão. “A princípio ainda não sei o motivo em que levou a Secretaria de Educação encerrar as atividades do CEJAP. Fomos pegos de surpresa! Uma coisa é clara, o Centro atendia cerca de 400 alunos, em sua maioria, adultos, pais e mães de família que não podem ser deixados abandonados. A Secretaria de Educação tem que oferecer alternativas para que estes alunos continuem estudando. Vamos apurar esta questão e rever esta situação do CEJAP. Assim que retornarmos nossas atividades dia 15 de fevereiro, iremos colocar este assunto como uma das primeiras pautas a ser abordadas pelos vereadores, visando garantir o direito de estudo destes alunos que freqüentavam o CEJAP”, finalizou Gilmar Milanski. 
Reportagem de Cirineu Santos da Rádio Regional 91.3 FM de Uruará, PA.

Obra de asfalto não concluída causa alagamentos em casas da zona leste da cidade de Uruará

Obra de asfalto não concluída causa alagamentos em casas da zona leste da cidade de Uruará
O início do inverno amazônico já começa a causar transtornos na cidade de Uruará. Com as chuvas que caíram sobre a cidade neste domingo e nesta segunda-feira á água já começa a invadir as casas da Rua das Mangueiras no Bairro do antigo Aeroporto, zona leste da cidade. A obra não concluída do asfalto acabou colaborando para que a água deixasse de escorrer pelo bueiro e passasse a alagar os quintais e residências.
 Há informações de que em outros pontos da cidade a situação se repete.
Com o aumento das chuvas os prejuízos materiais poderão começar a surgir se nada for feito pela administração municipal para solucionar o problema.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Vandalismo danifica patrimônio público de Uruará

Vandalismo danifica patrimônio público de Uruará e ginásio fica em estado de abandono
Quem te viu quem te vê! O atual estado de abandono da área externa do Ginásio Poliesportivo Eduardo Nicolini, no centro de Uruará, é lamentável. O Eduardo Nicolini foi o primeiro ginásio construído no município e inaugurado no governo do ex-prefeito Eraldo Pimenta no seu primeiro mandato (2005/2008), a área externa do ginásio oferecia um bom ambiente para as crianças se divertirem com um playground com brinquedos como escorregador e balanço.
Atualmente o mato está tomando conta do espaço, os brinquedos estão danificados, vários bancos da área foram quebrados e o mais grave, as placas de fundação, com o registro histórico dos nomes de pessoas que contribuíram para a construção do principal local de prática de esportes do município, foram violadas e furtadas. O ato de vandalismo, de verdadeira violência com o patrimônio público, deveria ser tratado como caso de polícia e os responsáveis por tal ato deveriam ser presos e punidos, e mais, banidos do município.
A Praça do Ginásio também está em estado de abandono, o que antes era bonito já não chama mais a atenção.
“Fiquei triste com a situação em que se encontra o parquinho do Ginásio Municipal. Bancos quebrados, todos os balanços estragados e ainda retiraram todas as placas que registram a inauguração. Um desrespeito com o passado, pois destruíram o registro histórico e um desrespeito com nosso futuro com a falta de manutenção desse espaço destinado a nossas crianças”, disse o internauta, Simon Greic Lino de Souza, em sua conta da rede social.




sábado, 24 de janeiro de 2015

Pai da pequena uruaraense, Evelly Reis, faz agradecimentos aos apoios recebidos

Pai da pequena uruaraense, Evelly Reis, faz agradecimentos aos apoios recebidos
Ela foi uma guerreira, Evelly de Aguiar Reis, de apenas 3 anos de idade, lutou bravamente contra o câncer, um tipo chamado Neuroblastoma em estágio 4, mas infelizmente a batalha foi muito grande para ela, que depois de seis meses hospitalizada, no Hospital Regional do Baixo amazonas em Santarém, não resistiu as conseqüências do tratamento e acabou nos deixando na segunda-feira, 19 de janeiro. A luta da pequena Evelly foi acompanhada por centenas de pessoas na rede social na internet.  Filha de Elói da Vitória Reis e Adriana de Aguiar, Evelly era uma uruaraense alegre e sorridente.
Passados 4 dias de sua morte nós conversamos com o pai dela nesta sexta-feira, Elói nos contou um pouco de como foi os seis meses de tratamento e faz agradecimentos aos apoios recebidos. “Foi uma grande perda pra toda a família e a gente fica muito sentido, pois ele vinha correspondendo bem ao tratamento e de repente ela chegou a esta situação e aconteceu o que aconteceu. Foram seis meses de luta e não foi fácil, tinha noites que a gente passava acordado em dias de sofrimento da minha filhinha, era de cortar o coração, mas ela superava esses momentos. Minha filha foi uma grande guerreira. O caso do câncer dela já estava em estágio avançado quando descoberto, os médicos diziam que as chances eram poucas de sobrevivência, mas fariam o que fosse possível para ela sobreviver. Ela passou por quatro ciclos de quimioterapia e um de urgência. O tratamento dela seria de aproximadamente de oito meses a um ano com oito ciclos de quimioterapia, ela seria submetida a cirurgia na metade desse ciclo que seria entre o final de dezembro e início de janeiro, mas devido as infecções que ela acabou contraindo não foi possível realizar a cirurgia. Nos dois dias antes dela falecer ela vomitou sangue, sentia muitas dores no abdômen. Os médicos bateram um raio X dela e constataram que era sangue que ela tinha por dentro e o sangue acabou tomando conta do pulmão direito dela aí veio a parada cardíaca, os médicos ficaram das 8h da manhã até as 9h e 30 minutos da segunda-feira, 19, tentando reanimá-la, mas infelizmente não conseguiram e ela acabou falecendo. Em laudo os médicos disseram que a causa da morte foi uma hemorragia pulmonar. Durante esse período em que minha filha esteve em tratamento muita gente nos ajudou, pessoas que a família nem conhece, quero aqui agradecer de coração a todas essas pessoas que nos ajudaram, não tenho nem palavras para agradecer a não ser obrigado, pois a luta foi grande e cada ajuda foi muito importante. A gente tinha esperança de que a neném pudesse passar por esta estar aqui conosco, mas infelizmente Deus quis ela ao lado Dele. Ela era uma criança muito alegre”, disse Elói com lágrimas nos olhos.
O corpo de Evelly foi sepultado no cemitério municipal de Uruará na terça-feira, dia 20 de janeiro.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Embora sepultado o seu corpo, permanecerás viva em nossas memórias, querida Evelly

A inocência pura de um ser iluminado que só fez o bem sobre a terra. Estará sempre em nossos corações, pois jamais deixaremos de te amar. Gostava de chocolate, gostava de carne, gostava de cantar e estava sempre sorrindo. 
Escondia as mãozinhas atrás das costas e balançava o corpo de um lado para o outro quando estava curiosa por algo, dizia: Nnhão quando queria negar algo ou refutar alguma coisa que não gostava, às vezes dizia apenas: Un un! Garotinha linda que a todos conquistava, Evelly de Aguiar Reis, de 19/10/2011 a 19/01/2015, por 3 anos e 3 meses vivestes entre nós nos premiando com sua alegria.
Foi sepultado o corpo dessa Guerreira e linda princesinha nesta terça-feira, 20, no Cemitério municipal de Uruará, mas suas lembranças permanecerão vivas em nossas memórias.
Evelly de Aguiar Reis, filha de Elói da Vitória Reis e Adriana de Aguiar, sobrinha de Joabe Reis. As famílias da parte de pai e da parte de mãe estão todos muitos tristes com a partida da ente querida.

Câncer maldito! Foi ceifada de forma precoce a vida da nossa inocente criança. Foram seis meses de luta contra esta terrível doença no Hospital Regional do Baixo amazonas em Santarém, com tratamento pesado de medicamentos extremamente fortes e a pequena princesa não suportou a carga de tamanha batalha. Descanse em Paz, querida Evelly!





sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Mal começou o período chuvoso e surgem atoleiros na Transamazônica (BR230) trecho Uruará/Placas

Mal começou o período chuvoso e surgem atoleiros na Transamazônica (BR230) trecho Uruará/Placas
Mal começou o período chuvoso e surgem atoleiros na Transamazônica (BR230) trecho Uruará/Placas
Estrada escorregadia, muita lama, pedra e buracos. É o que motoristas e motociclistas enfrentam ao trafegar pela Transamazônica (BR230) entre os municípios de Uruará e Placas. O período chuvoso (inverno amazônico) mal começou e já surgem vários atoleiros no trecho de 60 quilômetros entre as duas cidades. Numa ladeira chamada Lambreta, famosa na região por seu grau de dificuldade oferecido a motoristas, situada no km 192, a 12 km do centro urbano de Uruará, a nossa reportagem flagrou nesta sexta-feira, 16, após cair muita chuva, a situação vivenciada por caminhoneiros e agricultores que corajosamente encaravam a lama para seguir viagem. Na ladeira os caminhões, carretas e ônibus só conseguem subir a ladeira com a ajuda de um trator. Os motoristas têm que pagar entre R$ 50,00 a R$ 70,00 pelo serviço de reboque (a puxada).
 
Os anos passam e as cenas se repetem, o sofrimento continua.
Para passar pela ladeira (lambreta) os motociclistas precisam empurrar o veículo enquanto acelera o motor. Um buraco já começou a se formar no meio da ladeira que poderá ficar em condições ainda pior no decorrer do inverno.
“A situação aqui é critica, só Deus na causa”, disse o caminhoneiro Gustavo que saiu de Xinguara (PA) com destino a Santarém (PA).
“Não esperava encontrar a Transamazônica assim, a gente só vem pra cá em final de ano, pegamos essa chuvarada. E essa vergonha aí do governo que não termina aprontando a rodovia, faz uma parte larga as outras e a gente está aí no sofrimento”, disse o caminhoneiro Cristiano que saiu do Rio de Janeiro (RJ) com destino a Itaituba (PA) e Santarém (PA) transportando mudanças de militares.
 
Já o caminhoneiro Rafael que saiu de Caxias (MA) com destino a Placas (PA) e Rurópolis (PA), disse estar assustado com as condições da estrada, ele que vem pela primeira vez a Transamazônica. “Eu fiquei assustado até quando eu vi a situação, tive o caminhão puxado por um trator numa serra e aqui nós tentamos subir a ladeira e não conseguimos e então estacionamos a carreta e vamos esperar a estrada melhorar pra seguir viagem”.
 
O órgão responsável pela manutenção da boa trafegabilidade da Rodovia, Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), nada fez durante o período seco para preparar a BR para o período chuvoso, já que no trecho referido existe apenas promessa de asfalto, e mesmo com as dificuldades enfrentadas por motoristas e motociclistas, nada é feito para amenizar o problema.
Ninguém do órgão foi encontrado pela reportagem para falar sobre o assunto. 

Vereadores cobram melhorias no fornecimento de remédios e alimentação no Hospital Municipal de Uruará

Vereadores cobram melhorias no fornecimento de remédios e alimentação no Hospital Municipal de Uruará
Em ofício assinado pelos vereadores Zenilson Negão (Pros) e Jachison de Oliveira Lima (PP), enviado a Secretaria de Saúde do Município de Uruará, os vereadores solicitam em caráter de urgência que a secretaria resolva o problema da falta de medicamentos básicos e alimentação aos pacientes no Hospital Municipal, o que tem levado famílias a transferir pacientes para clínicas particulares para realização de exames como ultrassonografia, sendo que o hospital dispõe de um aparelho em perfeitas condições de uso. Ainda no ofício os vereadores mencionam que em visita ao hospital nesta quinta-feira constatou-se também a falta de material de limpeza, como sabão em pó, entre outros.
 Ver. Zenilson Negão                        Ver. Jachison de Oliveira Lima
O ofício de número 002/2015 datado de 16 de janeiro de 2015 foi encaminhado nesta sexta-feira, 16, a Secretaria de Saúde de Uruará e ainda não houve resposta. O mesmo ofício será enviado ao Ministério Público, segundo informou o vereador Zenilson Negão.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Presos conversam com Juiz Pedrassoli durante visita a carceragem da Delegacia de Polícia Civil em Uruará

Presos conversam com Juiz Pedrassoli durante visita a carceragem da Delegacia de Polícia Civil em Uruará
Nesta quinta-feira, 15, o juiz titular da Comarca de Uruará, Vinícius de Amorim Pedrassoli, esteve visitando na delegacia de polícia civil a carceragem onde se encontram diversos presos recolhidos. O juiz conversou com presos e constatou as condições dos mesmos dentro das celas. Para a nossa reportagem o juiz disse que esta é uma ação realizada pelo judiciário todos os meses quando é constatada a realidade da situação carcerária na delegacia. “Uma das funções do poder judiciário, como somos responsáveis pela justiça na cidade, é está fazendo uma visita mensal na delegacia acompanhando os trabalhos do delegado ouvindo as condições dos presos e vê se eles estão dentro do que rege os direitos humanos, também a gente vem pra dar uma justificativa aos presos sobre como estão os processos judiciais deles. A nossa intenção sempre é promover a justiça, usar o rigor da lei, mas trabalhando sem perder a humanidade, sem perder o respeito ao próximo mesmo que seja um réu no processo. Pra 2015 temos uma pauta cheia de audiências até o mês de julho, vamos fazer um mutirão em data a ser agendada com participação maior dos advogados pra que a gente consiga ter mais efetividade. Também já temos a nossa agenda de júri, já tem júri marcado pra março quando faremos uma semana de julgamentos no tribunal do júri da comarca”, destacou o magistrado.
 Major PM Márcio Abud e Juiz Vinícius de Amorim Pedrassoli con versando com presos
Esteve acompanhando a visitação do judiciário o major PM Márcio Abud, comandante da 13ª Companhia Independente de Polícia Militar de Uruará, que também falou com a reportagem e destacou a necessidade que o município tem em dispor de um batalhão de polícia. “Uruará já precisa de um batalhão de polícia, pois aqui ainda é uma companhia, então está crescendo muito o número de ocorrências, mesmo com a polícia na rua houve assaltos nas últimas semanas. A carceragem está lotada e já foram dezenas de presos transferidos para o presídio de Altamira nos últimos dois meses, então Uruará está crescendo, está chegando várias pessoas, está chegando progresso, mas também está chegando a vagabundagem. Como nós não temos prédio próprio da PM, sendo o espaço que utilizamos da Câmara Municipal, já estou em busca de mais policiais para a 13ª Companhia e aqui precisa de um batalhão e de mais 5 viaturas para estar nas ruas 24 horas, porque está chegando o progresso mas está chegando a bandidagem também”, disse o major. 
O juiz Pedrassoli foi recebido pelo delegado Walison Damasceno que ressaltou a importância do acompanhamento realizado pelo judiciário e diz que são 13 presos atualmente na carceragem. “Atualmente nós temos 13 presos recolhidos nas três celas da delegacia, contando com presos da cidade de Placas e a gente gosta muito dessas visitas tanto do judiciário quanto do ministério público pra ver a situação e ver como está o andamento dos nossos trabalhos e estamos aguardando algumas transferências de presos para os próximos dias”, pontuou o delegado.
Também acompanharam a visitação do judiciário a delegacia de polícia os investigadores Sílvio Alex e Célio Salvador.
A carceragem da delegacia de polícia civil de Uruará tem capacidade máxima de 10 presos em três celas, mas sempre está super lotada.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Moradores do travessão 209 sul reivindicam construção de ponte

Uruará: Moradores do travessão 209 sul reivindicam construção de ponte sobre o Rio Uruará
Os agricultores, José Ferreira da Silva e Luiz Sousa dos Santos, falaram com a nossa reportagem nesta terça-feira, 13, denunciando a situação deficitária da ponte sobre o Rio Uruará no travessão 209 sul, zona rural do município de Uruará (PA). Cerca de 50 famílias reivindicam a construção da ponte que está prestes a cair estando em péssimo estado, inclusive oferecendo perigo de acidentes aos moradores. 
A situação nossa lá é crítica, a ponte está em péssimo estado e eu quero só pedir aos vereadores e ao prefeito do município pra vê se dá um jeito lá porque a ponte está ruim. Nós já juntemos lá e cortemos a madeira, puxamos e deixamos no ponto para refazer a ponte, mas falta um pau pra puxar, mas nós não temos máquina pra puxar, seria importante demais pra nós se fizessem a ponte, ou pelo menos puxasse o pau com o trator que a gente coloca o lastro. Tememos a chegada do inverno, somos em mais de 50 famílias lá e poderemos ficar sem poder sair, poderemos ficar presos lá dentro sem poder transportar nada”, disse o agricultor José Ferreira da Silva que mora a 42 quilômetros distantes da Transamazônica, e a 71 km do centro urbano.
Pra trazer alguma produção da minha propriedade a gente que transporta no lombo de animal por uns 15 quilômetros pra poder pegar o carro. Não é fácil não pra gente. Nós estamos precisando demais dessa ponte. Serramos a madeira e colocamos no ponto como eles (governo municipal) pediram e até agora nada de irem fazer a ponte”, reclama o agricultor Luiz Sousa dos Santos.
 Já são mais de 3 meses que os agricultores esperam que a ponte seja refeita, mas sem resposta.

Escritor Joabe Reis


sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Poesia Inesperado

Autor Joabe Reis
As estrelas estão mais distantes e o seu brilho está quase apagando.
Nuvens cobrem o céu revolto de uma tempestade repentina e aterradora.
Os ventos sopram com tamanha força irrefutável varrendo o espaço.
Montanhas parecem se mover em reviravolta da natureza.
Efemérides de toda uma vida num descobrir de viver oculto.
Indesejável estado de alma oprime insopitável sede dos sentimentos.
O arco-ires não aparece à frente de tão negras nuvens para impedir severa tempestade.
O inevitável suceder não profetizado.
Num transposto de fortaleza inexpugnável.
É chegado o fim.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Gosto do Que Faço! Faço o Que Gosto!

Gosto do Que Faço! Faço o Que Gosto!
Por Joabe Reis
"As motivações se renovam junto com cada nascer de dia e o brilho nos olhos permanece como ao do sol que acompanha cada amanhecer".
- Joabe Reis.
Joabe Reis
A Busca pela Felicidade, para muitos, é uma viagem sem fim. As vezes de aventura, as vezes turbulenta, as vezes frustrante e somente as vezes Feliz. Quão longe muitos já estiveram e continuam indo sem que o alcançar tenham conseguido do inefável Tesouro. São bilhões de viajantes indo e vindo como num gigantesco formigueiro cheio de formiguinhas correndo atrás do escasso alimento vital. Esta é a Batalha constante travada pelo ser humano sempre sedento por algo mais, sedento por Felicidade.
A Insensibilidade e Gélido adormecer do Amor são adversários poderosos e impiedosos que têm conseguido vencer a maioria destas batalhas.
A procura pelo abstrato estado de espírito e impalpável sensação de bem estar material poderia pouco durar se estes peregrinos desprovidos do escudo da resistência ao sofrimento Mudassem, bastando para isto usar de Atitudes Humildes o bastante para reconhecerem que precisam parar e recomeçar indagando a si mesmos: Se o que fazem é o que gostam. Se onde estão é aonde querem estar. Se estão com quem desejam estar.
O Segredo da Felicidade repousa na Simplicidade: é Estar com quem nos agrada a Companhia; é Viver no lugar que nos conforta e acolhe bem; e é Fazer o que se gosta, sentindo prazer em fazer.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Pamela Carolini diz que a família já tem advogados

Pamela Carolini diz que a família já tem advogados para atuar no caso da morte de Liliane Freire
 A esquerda Pamela Caroline e a direita Liliane Freire
Nesta quarta-feira, 07, a modelo uruaraense, Pamela Carolini disse que nos próximos dias irá falar com a imprensa em nome da família de sua irmã, Liliane Freire, morta com um tiro no rosto no interior da residência onde morava com o marido, Célio Antônio da Silva, fato ocorrido no dia 31 de dezembro de 2014 no Bairro Jardim Morumbi, zona oeste da cidade de Uruará (PA).
Em nota a modelo disse que já tem advogados para atuarem no caso e agradeceu o apoio recebido pela família. “Agradeço a todas as pessoas pelo apoio dado a mim e aminha família nesse momento difícil. Informo que nós já temos advogados para atuar no caso, só estamos esperando o laudo da perícia sair para podermos entrar em ação acionando a justiça para que a justiça seja feita”, diz a nota.

Veículos, furtados e adulterados, apreendidos pela Polícia Civil

Veículos, furtados e adulterados, apreendidos pela Polícia Civil em Uruará são periciados
Na última semana de 2014 e primeira semana de 2015 a Polícia Civil de Uruará, através do Investigador Sílvio Alex e investigador Célio Salvador, sob o comando do delegado Walison Damasceno, efetuou a apreensão de 5 veículos irregulares ou furtados que estavam circulando no trânsito da cidade.
Dos veículos apreendidos dois são motocicletas, uma moto broz que foi furtada no município de Itupiranga (PA) e uma motocicleta pop 100 furtada no município de Vitória do Xingu (PA), os outros três veículos são um Fiat Strada que é uma ‘dublê’, (clonada), um gol Polo com sinais de adulteração de chassi e motor, e um pálio com placa adulterada.
Peritos do CPC Renato Chaves estiveram nesta quarta-feira, 07, em Uruará quando fizeram o trabalho de perícia nos carros apreendidos.
 Os proprietários das motocicletas já foram informados da recuperação dos veículos, já os condutores pegos com os carros irregulares irão responder a processos criminais, como informou o delegado titular da delegacia de Polícia Civil de Uruará, Walison Damasceno. “A última semana do ano foi bastante movimentada, nós tivemos a equipe de investigadores, Sílvio e Célio, conseguindo recuperar duas motocicletas, que já foi constatado que foram produtos de furtos, um em Itupiranga e outro em Vitória do Xingu. E eles também recuperaram três automóveis que estão com visíveis sinais de adulteração: chassi e placa. As pessoas que estavam com eles (os carros) vão responder pelo Crime de Receptação, pelo Crime de Adulteração de Sinal Identificador de Veículo e alguns que também os documentos estavam aparentando estar falsificado, assim que chegar o laudo da perícia, eles (os condutores) vão responder também pelo Crime de Uso de Documento Falso. Em virtude do volume de veículos nós solicitamos a perícia em Altamira que veio para fazer a verificação destes veículos. A polícia está atenta a este tipo de ação e aquele que for comprar um veículo procure os órgãos responsáveis pra verificar, fazer a checagem correta do veículo, para não ser enganado”, disse o delegado.
Os carros e as motocicletas estão recolhidos no pátio da Delegacia de Polícia Civil do Município de Uruará.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

“Estarei na condição de ministro facilitando a chegada das políticas públicas”, diz Helder

“Estarei na condição de ministro facilitando a chegada das políticas públicas”, diz Helder, novo Ministro da Pesca e Aquicultura
O deputado estadual Eraldo Pimenta esteve em Brasília nesta sexta-feira,02, participando da cerimônia de posse do novo Ministro da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, ex-candidato a governo do Pará. Ao jornal O Regional da Rádio Regional 91.3 FM de Uruará (PA), apresentado por Joabe Reis, o deputado disse que este é um momento histórico.
É motivo de muita alegria e um momento histórico para o nosso Pará. A nossa região de grande potencial hídrico vai ter a possibilidade de ter um ministro que conhece a região como poucos. Nós temos a alegria de termos o amigo, o parceiro Helder a frente deste Ministério” afirmou Eraldo Pimenta.
Também falou ao jornal O Regional desta sexta-feira, 02, o próprio Ministro Helder Barbalho, segundo ele é uma honra assumir o cargo cujo creditou ao povo do estado e pregou uma atuação voltada a políticas públicas que atendam ao agricultor familiar. Disse também que irá trabalhar especialmente pelo estado do Pará.
A toda a região Oeste do estado, particularmente a Região do Tapajós e Transamazônica, digo da satisfação nesse momento de receber o cargo de Ministro da Pesca e Aquicultura do Brasil com a responsabilidade de paraense, e grato a todo o nosso estado, trabalhar pelo Brasil, mas é claro, trabalhar de forma especial pelo estado do Pará”.
Ao ser perguntado sobre o que pretende fazer para melhorar a situação da pesca e aquicultura da região oeste do Pará e em todo o estado o Ministro respondeu:
 “É fundamental que nós possamos dar apoiamento ao setor, particularmente o Pará tem uma força muito grande na pesca artesanal, como também com a força e com grandes possibilidades na aquicultura, principalmente fortalecendo, através da agricultura familiar, dos projetos de agricultura familiar, fazendo a implantação de projetos aquícolas nos assentamentos e também nas atividades do pequeno produtor e é com este afinco que eu estarei na condição de Ministro facilitando a chegada das políticas públicas, seja de apoio através dos bancos com fomento para que o produtor possa ter acesso ao recurso, para ter o seu tanque rede, para poder fazer sua obra na sua área rural, que permita também a abertura de tanques, da mesma forma na pesca artesanal que possamos apoiar a renovação de frota, o acesso ao óleo diesel. É fundamental que nós tenhamos parceria e como Ministro estarei junto com o povo do Pará, com a região Oeste do Pará, com esse Rio Tapajós fantástico e belo, para que possamos ampliar a pesca em todo o nosso estado. Quero dizer da honra de exercer esse papel. Há 20 anos o Pará não tinha um Ministro de estado da República brasileira e sei que esta função é graças ao povo do meu estado, a solidariedade do povo do Pará que esteve junto comigo, e na condição de Ministro estarei ajudando, não só na área da Pesca e da Aaquicultura, mas serei firmemente um instrumento para levar políticas públicas, não só para essa região (oeste do Pará), mas para todo o nosso estado, para que possamos ter vida melhor, seja nos projetos de assentamento, seja na melhoria das nossas estradas vicinais, da nossa Transamazônica. A chegada de grandes projetos, como o complexo Tapajós, que haverá de ter grande influência nesta região nos próximos anos. Por tanto conte comigo para o bem estar e qualidade de vida, para que a população possa ter dias melhores”, finalizou Helder.
A Cerimônia aconteceu no Salão Nobre do Palácio do Planalto e contou com diversas figuras importantes da política nacional e internacional.