quarta-feira, 17 de setembro de 2014

População de Uruará sai às ruas em protesto e Palácio das Flores é tomado

População de Uruará sai às ruas em protesto contra a administração do gestor municipal e Palácio das Flores é tomado
População de Uruará sai às ruas em protesto contra a administração do gestor municipal e Palácio das Flores é tomado
Na manhã desta quarta-feira, 17, milhares de uruaraenses saíram às ruas da cidade em manifestação pacífica protestando contra a administração do atual prefeito.
A população carregava faixas e cartazes pedindo a saída do prefeito do cargo.
O gestor municipal desde que assumiu a prefeitura do município só tem desagradado servidores e a população em geral e após um ato considerado ilegal e absurdo pelos educadores que foi o corte de 30% a 50 % nos salários dos professores concursados da rede municipal de ensino a população sai às ruas para protestar, a esperança da população manifestante é que o prefeito seja cassado, os manifestante exigem que seja feita uma CPI para apurar os atos do prefeito quanto ao corte do salários dos professores e exigem também que os vereadores tomem providência.
Cerca de 3 mil pessoas foram as ruas manifestar sua insatisfação.
A manifestação desta quarta-feira é coordenada pelo Sintepp Uruará. Após caminharem pelas principais ruas e avenidas da cidade os manifestantes foram para a frente da prefeitura do município e em seguida tomara o Palácio das Flores.
O prefeito Everton Moreira Vitória, o Banha, não foi encontrado na Prefeitura pra receber os manifestantes nem falar com a reportagem.

sábado, 13 de setembro de 2014

Município de Uruará (PA) comemora 27 anos


Lugar de um povo trabalhador, povo hospitaleiro e solidário. Uruará, município paraense localizado na Transamazônica que neste sábado, 13 de setembro de 2014 está comemorando seus 27 anos de emancipação. Município de agricultura forte, terra do cacau, da pecuária e da madeira, trinca que matem forte sua economia.
Município que cresceu bastante na última década e tem potencial para crescer muito mais.
Em 1987, no dia 13 de setembro foi homologada a emancipação do município que antes pertencia ao município de Prainha e, através das lutas incansáveis dos pioneiros que conseguiram o desvencilhamento e criação do município.
Parabéns Uruará e toda a sua população! 
Hino de Uruará
Letra por José Ribamar Martins Ribeiro
Melodia por José Ribamar Martins Ribeiro

Encanto e beleza sublime
relíquia luzente sem par
Farol entre a selva gigante,
na amazonia do nosso Pará.
Oásis de grande aconchego
sossêgo da luta hostil
Oh, povo bem-aventurado,
bem localizado no nosso Brasil.
(Refrão)
Uruará, Uruará
ordem e progresso, força e riqueza
Está crescendo é do Pará
toda relíquia, toda beleza.
Coroado por belas fazendas
que revelam todo manancial
Que a flux com toda realeza
o café, a pimenta e o cacau.
Te adoramos querida cidade
lutaremos por ti com amor
Com bravura e com fidelidade
com benevolência e bravo fervor.
É ornado o teu céu azulado
pelo reluzente sol do equador,
Teu aroma é puro e saudavél
é mui inefável teu belo verdor.
Te adoramos querida cidade
lutaremos por ti sem cessar
És augusta e vital, consagrada
oh, patria amada. Meu Uruará.


sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Escritor Joabe Reis autografa seus livros em escola Do Distrito Alvorada

Na noite desta quinta-feira, 11, o escritor uruaraense Joabe Reis esteve na Escola José Bonifácio no Distrito Alvorada, km 140, município de Uruará (PA), quando palestrou para os alunos, falando sobre seu recém lançado livro, o Romance, Deserto da Alma, e respondeu a curiosidades dos estudantes sobre como é publicar um livro.
O escritor foi até a instituição atendendo ao convite da professora Elayne Araujo. Muito bem recepcionado por todos da escola, o escritor Joabe Reis ainda provou de uma pizza oferecida pela escola após a palestra e sessão de autógrafos. “Muito bom ter esse contato com o leitor. Estou muito grato por ter recebido esse convite para vir aqui na Escola José Bonifácio, pessoas muito educadas e simpáticas, fiquei muito feliz em autografar os meus livros para essas pessoas que sabem bem valorizar a literatura local”, disse o escritor.
Após a palestra Joabe Reis autografou vários exemplares dos seus livros, Um Louco Desejo e Deserto da Alma numa sessão de autógrafo, bem animada, com muita descontração.
Junto com o escritor estiveram presentes na visa a escola José Bonifácio, a mulher do escritor, Edilene Galvão, e o locutor Célio Santos.
Os livros do autor estão a venda pelo telefone 093 91872751, e-mail: reis_joabe@hotmail.com e www.facebook.com/joabe.reis.5 pra qualquer lugar do mundo.
O livro DESERTO DA ALMA também está a venda na internet acesse o endereço eletrônico http://www.editorakiron.com.br/livraria/catalogsearch/result/?q=deserto+da+alma e compre o seu exemplar agora mesmo.
Você pode comprar, se preferir a versão digital o livro DESERTO DA ALMA é só acessar o endereço eletrônico http://www.editorakiron.com.br/livraria/catalogsearch/result/?q=deserto+da+alma



Livro DESERTO DA ALMA todos os dias ganha novos leitores

Livro DESERTO DA ALMA todos os dias ganha novos leitores

A lista de pessoas que já compraram e estão lendo ou já leram o livro DESERTO DA ALMA ganha novos nomes a cada dia. O livro é um romance escrito por Joabe Reis, escritor paraense residente na cidade de Uruará, região sudoeste do Pará, na Transamazônica. Publicado pela editora Kiron o livro está a venda pelo telefone 093 91872751 ou pela internet acesse o endereço eletrônico http://www.editorakiron.com.br/livraria/catalogsearch/result/?q=deserto+da+alma e compre o seu exemplar agora mesmo.
Você pode comprar, se preferir a versão digital do livro DESERTO DA ALMA é só acessar o endereço eletrônico http://www.editorakiron.com.br/livraria/catalogsearch/result/?q=deserto+da+alma.

Acabaram de entrar para a conceituada e intelectual lista de leitores do livro Deserto da Alma, o contador Cenylson da News Contabilidade e o funcionário do Ministério Público Carlos Alexandre.
"Agradeço a todas as pessoas que já compraram o meu livro e agradeço a você que vai comprar".

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

JORNAL É NOTÍCIA É LANÇADO EM URUARÁ


Nossas vidas são movidas por metas. Batalhar por elas a cada novo dia é o que nos mantém fortes e confiantes diante de todos os problemas que encontramos durante nosso caminho. Com este pensamento e muita vontade de trabalhar, surge o Jornal É Notícia, veículo de jornalismo impresso e digital e posteriormente em telejornal.
Com um design elegante e moderno, o jornal impresso e o site do É Notícia serão peças fundamentais de referência em notícia, levando as novidades ao maior número de pessoas. O conteúdo do É Notícia será pensado com base em um projeto editorial de credibilidade e ética.
Longa vida ao É Notícia!
Por Cirineu Santos
Blog Uruará Em ação

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

40 pessoas passam mal depois de comerem em churrascari

Cerca de 40 pessoas passam mal depois de comerem em churrascaria de Uruará
A vigilância sanitária interditou nesta segunda-feira, 08, uma churrascaria na cidade de Uruará depois que várias pessoas procuraram atendimento médico no hospital municipal apresentando um tipo desconhecido de infecção intestinal na madrugada de sábado (06) para domingo (07) após jantarem na churrascaria. Pelo menos 40 pessoas apresentaram os sintomas. Os médicos não souberam precisar do que se tratava.
Os irmãos Rivanildo Fistarol e Rudimar Fistarol proprietários da churrascaria disseram a reportagem que não sabem o que ocasionou o problema e que estão prestando assistência as pessoas que apresentaram a infecção. Segundo eles, todos os reparos orientados pela vigilância sanitária estão sendo feitos. Os irmãos mostraram todo o interior da churrascaria, inclusive o da cozinha, colaborando com a reportagem, segundo eles a intenção é reabrir o estabelecimento nessa terça-feira (09).
Sócio proprietário Rivanildo Fistarol 
Todas as pessoas contaminadas, inclusive 4 funcionários da churrascaria, estão sendo medicadas e passam bem, segundo informações levantadas pela reportagem.
 
Foi preciso acontecer um caso de infecção alimentar para que a vigilância sanitária fizesse uma inspeção na churrascaria. E os outros estabelecimentos que oferecem o mesmo serviço na cidade, estes não passarão por uma fiscalização?


sábado, 6 de setembro de 2014

Moradores do Minha Casa Minha Vida em Uruará sem água

Uruará: Moradores do Minha Casa Minha Vida em Uruará estão a seis dias sem água
Uruará: Moradores do Minha Casa Minha Vida em Uruará estão a seis dias sem água
Os moradores do Bairro Pimentolândia, extremo sul da cidade de Uruará, chegam ao 6º dia sem água e sem verem qualquer mobilização da administração municipal em solucionar o problema ocasionado devido a bomba d’água ter queimado, deixando centenas de famílias, do Minha Casa Minha Vida, sem água.
Na foto uma mulher empurrando um carrinho de mão cheio de louças e roupa para lavar no igarapé 
Os moradores falaram com a reportagem. “Meu nome é Manoel Firmino, desde domingo nós estamos nessa luta sem água, depois que passou a responsabilidade para o poder municipal bagunçou”. Meu nome é Gisa Vieira da Silva, sem água a sujeira não é fácil, a gente tem que carregar as vasilhas de água pesadas, lavar roupa em igarapé no meio da estrada vicinal, e por conta disso estou pensando em cavar um poço”. Meu nome é Letícia, aqui é desse jeito aí, estamos sem água, aqui a maioria tem filhos em casa como eu, agora mesmo a minha mãe foi para um igaraé que tem a água poluída pra poder lavar a louça pra poder a gente fazer comida em casa porque não tem vasilha nem roupa limpa aqui em casa”estes foram os relatos de alguns moradores.
 O representante da empresa construtora Do minha Casa Minha Vida, Silvanir Sousa da Silva, disse que a bomba será recolocada na tarde de hoje. “Bomba está no concerto e deve ser recolocada no lugar na tarde de hoje (sexta-feira, 05). A demora em concertar a bomba foi gerada porque a prefeitura dizia que era responsabilidade da empresa e a empresa diz que é responsabilidade da prefeitura. No local onde a bomba e a caixa d’água fica não tem segurança alguma, a prefeitura ficou de designar um vigia para o local, mas até o memento nada”. Mas até a manhã deste sábado, 06, os moradores continuavam sem água, sem que a bomba voltasse a funcionar.
No local a reportagem flagrou o descaso mostrando em fotos a situação que vive os moradores.
 O igarapé onde as famílias pegam água e lavam roupas e louças fica a cerca de 2 quilômetros do Bairro na estrada vicinal do travessão 180 sul, uma água que o ser humano não devia usar para tais fins, pra se chegar até o igarapé os moradores precisam descer uma grande ladeira na ida e subi-la na volta. Essas famílias merecem mais respeito.
 Igarapé onde as famílias buscam água e lavam roupas e louças
A expectativa é de que neste sábado a bomba volte a funcionar e os moradores tenham água na torneira novamente. 

sábado, 30 de agosto de 2014

Joabe Reis apresenta, os seus livros

Joabe Reis apresenta, os seus livros: Um Louco Desejo e Deserto da Alma
O escritor Joabe Reis, (32 anos), paraense, que reside na cidade de Uruará (PA) desde junho de 1994 publicou o livro Um Louco Desejo no ano de 2004 e publicou o livro Deserto da Alma no ano de 2014. Ambos os livros são Romances, excelentes leituras para todos os momentos. Peça o seu exemplar pelo telefone 093 91872751 ou pelo e-mail: reis_joabe@hotmail.com ou https://www.facebook.com/joabe.reis.5
Um Louco Desejo, 177 páginas, só R$ 15,00. Deserto da Alma, 204 páginas, apenas R$ 38,00. Adquira já o seu!
Joabe Reis abraçando os Frutos de sua Imaginação

domingo, 24 de agosto de 2014

Ladeira Lambreta na Transamazônica é um empecilho

Uma região esquecida pelo governo.


Situação comum, mas nem por isto agradável aos moradores locais, a densa poeira em grande concentração formando uma grossa e extensa camada sobre a rodovia Transamazônica é um problemas de mais de 4 décadas enfrentados por quem precisa trafegar pela rodovia federal BR 230. 
Num ponto específico, uma ladeira chamada de Lambreta pelos moradores locais, tem sido um empecilho a ser superado pelos motoristas, principalmente de carretas carregadas que precisam contar com a ajuda externa de um trator para conseguir subir a ladeira pra seguir viagem. 

O fluxo de veículos deste porte tem aumentado consideravelmente nos últimos meses e o tão necessário e prometido asfalto ainda não chegou, enquanto isto situações como estas flagradas na fotografia são enfrentadas diariamente por motoristas e pelos moradores locais que tem que conviver com a desagradável poeira.

Joabe Reis trabalhando

Oportunidades ofertadas pela profissão
Joabe Reis em Selfie ao lado de uma barcaça cheia de cacau secando
Durante reportagem visitei a propriedade do senhor João Alcides, km 193 na margem norte da Transamazônica, zona rural de Uruará, também visitei a propriedade do senhor Nelson Nardini no km 193 na margem sul da Transamazônica e visitei a propriedade do senhor Augusto Pereira no km 194 na margem sul da Transamazônica, ambas as propriedades produtoras de cacau que está sendo afetada por uma doença ainda não identificada. 
Durante a visita fui recebido na casa do senhor Augusto para tomar um suco e papear um pouco. Foi muito legal!
A Reportagem foi realizada no sábado, 23 de agosto de 2014, que é exibida aqui no meu blogue e será exibida no jornal O Regional da Regional 91.3 FM de Uruará e em vídeo na internet, como aqui mesmo no meu blog, fique a vontade para conferir.

Produtores de cacau do município de Uruará temem perder a lavoura

Nelson Nardini, Augusto Pereira, Cirilo Nicolodi e João Alcides
No sábado, 23, a nossa reportagem visitou 3 propriedades produtoras de cacau as margens da Transamazônica, km 193, zona rural do município de Uruará a 13 quilômetros do centro urbano. Nas lavouras de cacau de ambas as propriedades existem uma doença que está se espalhando rápido matando o cacaueiro, cerca de 20 mil pés de cacau já foram consumidos pela doença, o pé de cacau seca começando pelas folhas, tal doença ainda não foi identificada gerando grande preocupação nos cacauicultores, João Alcides (o Ivo), Augusto Pereira e Nelson Nardine, donos das propriedades visitadas, que até o momento não tiveram o auxílio dos órgãos de pesquisa envolvidos com a cultura do cacau.
Na propriedade de João Alcides
Quando essa doença Começou teve técnico que falou que era devido ser cacau híbrido e que o cacau híbrido era programado para durar só 35 anos, de fato o cacau está completando os 35 anos, mas isso não é problema da idade porque tem cacau com 10 anos está morrendo, com 6 anos está morrendo, com 12 anos está morrendo, então não é porque o cacau é híbrido, o problema é a doença mesmo que precisa ser identificada o mais rápido possível para se encontrar uma solução, do contrário seremos obrigados a abandonar a propriedade. Não sabemos o que fazer e estamos esperando ser socorridos”, disse o cacauicultor João Alcides.
Na propriedade de Augusto Pereira
Aqui na minha lavou já morreram 6 mil pés de cacau e a doença continua avançando, se não tivermos uma resposta rápida dos órgão competentes vamos perder a nossa lavoura e seremos forçados a mudar de atividade agrícola”, afirmou o cacauicultor Augusto Pereira.
Na propriedade de Nelson Nardini
Essa doença está afetando a todos os produtores aqui dessa localidade, ela deve ter começado aqui na minha propriedade há 20 anos e agora está se espalhando”, concluiu o produtor Nelson Nardini.
O presidente da Cooperativa Coomavur, Cirilo Nicolodi, que também é produtor de cacau, esteve junto com os produtores visitando as lavouras afetadas.
Vendo esse problema enfrentado pelos nossos produtores a gente também fica preocupado, acredito que possa acontecer no cacau o que aconteceu com o baquearão, que no início começou em algumas propriedades e hoje já alastra por todo o estado e nós queremos levar esse fato aos órgãos competentes para que se faça uma pesquisa e descubra uma maneira de manter a lavoura cacaueira sem que ela se acabe”, frisou Nicolodi.
Na propriedade de João Alcides ele está derrubando com um trator as árvores infectadas e irá queimá-las para plantar banana no lugar. As terras de ambas as propriedades são de excelente qualidade que proporciona produções satisfatórias, o que deixa os produtores ainda mais intrigados. Na propriedade de Augusto Pereira ele substituiu o cacau por açaí numa parte onde a doença consumiu o cacaueiro e na propriedade de Nelson Nardini ele substituiu o cacau por árvores de Teca, mas ambos os produtores preferiam continuar com suas lavouras de cacau a trocá-las por atividade agrícola.
Os órgãos competentes devem tomar providências o mais breve possível para que o extermínio das lavouras de cacau não aconteça na região. O sinal de alerta foi lançado.