quinta-feira, 26 de março de 2015

“Hoje não tem nenhuma ação contra a Prefeitura”, diz Pedrassoli, juiz titular da Comarca de Uruará

“Hoje não tem nenhuma ação contra a Prefeitura”, diz Pedrassoli, juiz titular da Comarca de Uruará
Juiz de Direito Titular da Comarca de Uruará, Vinícius de Amorim Pedrassoli
Várias reclamações referentes à administração pública de Uruará são questionadas diariamente pela população, algumas até encaminhadas ao Ministério Público do Município, entre elas a falta de recuperação das ruas e vicinais, a falta de iluminação pública, falta de coleta de lixo, falta de atendimento na saúde, entre outras. O Juiz de Direito Titular da Comarca de Uruará, Vinícius de Amorim Pedrassoli, falou com exclusividade ao Jornal O Regional da Rádio Regional 91.3 FM de Uruará nesta semana, sobre estas questões.
Segundo o juiz Vinícius Pedrassoli, hoje não existe nenhuma ação no Poder Judiciário, contra a administração municipal. “Às vezes as pessoas não entendem a função de cada ente. Enquanto cidadão, que mora aqui na cidade, vejo os problemas como qualquer outro cidadão. Agora, para o Poder Judiciário tomar qualquer medida específica sobre qualquer assunto, isto é, falta de iluminação pública, recuperação das ruas, ou outra coisa, eu preciso de uma ação. É importante colocar, que a função do Juiz é julgar fatos quando tem um processo específico e hoje não tem nenhuma ação de improbidade administrativa contra o prefeito Banha, ou contra a Prefeitura. Nenhuma ação determinando nada sobre obras, lixo, água, saúde, ou outra coisa. Temos aqui apenas uma ação sobre a educação, dada entrada pela própria Prefeitura. Então, não temos nenhum processo pendente de julgamento contra o atual prefeito, ou a atual administração”, disse.
O Juiz esclareceu que para julgar qualquer assunto o Judiciário deve ser impulsionado. “Se o judiciário não for impulsionado, ele não pode decidir. É preciso que uma associação, ou o Ministério Público ingresse com uma ação sobre aquele assunto para o Juiz decidir. Eu estou fazendo a minha função. E não tem nenhuma ação. A população tem que vir fazer a denúncia no Ministério Público, se organizar, procurar a Câmara de Vereadores, enfim, este é o caminho”, esclareceu.
Vinícius Pedrassoli disse ainda, que a Câmara de Vereadores tem a função de fazer as leis municipais e o Executivo cumprir. A Câmara de Vereadores são os representantes do Povo. “Qual a função do vereador? Ver onde será aplicado o orçamento do ano seguinte. Os vereadores é que determinam o valor de recursos para que a Prefeitura invista na cidade. Os vereadores é que aprovam que valor X será para fazer as obras das ruas da cidade. Ou que seja revertido para a iluminação pública. É a Câmara de Vereadores que determina. O prefeito deveria cumprir o que a Câmara determinar. Esta é a função do vereador. Muitas vezes o vereador não tem consciência que ele tem este poder. É ele que tem que dizer que a Prefeitura tem que gastar tanto com luz, tanto com recuperação de rua, tanto com saúde, porque é ele que aprova isso. Ele que aprova o valor dos recursos para o ano seguinte, eles é quem dizem como devem ser gastos! São eles que fiscalizam este gasto. Então a população pode e deve cobrar dos vereadores, onde e como a prefeitura, o prefeito, está gastando o dinheiro público. A população tem que se reunir e denunciar ao Ministério Público, cobrar dos vereadores. Digo que se houver alguma ação, aí o Poder Judiciário, o Juiz, vai avaliar se está certo ou errado, e, lógico dando o direito de defesa”, esclareceu.
Segundo o Meritíssimo, hoje não tem nenhuma ação impetrada no Poder Judiciário. “Não tem nenhuma ação nesta Comarca que tenha sido ingressada, seja de improbidade administrativa, seja de obrigação de fazer, contra a Prefeitura, pendente de julgamento. Portanto, a culpa não é do Judiciário. Não há que se falar que exista conluio, complacência, ou que exista parceria, ou amizade do Poder Judiciário com a Administração Municipal. A gente julga processos quando são apresentados neste Poder Judiciário, se não tiver nenhum processo, a gente não pode estar julgando, por mais que a situação esteja me incomodando como cidadão”, explicou.
O Juiz Vinícius de Amorim Pedrassoli, está respondendo como Titular da Comarca de Uruará, desde junho do ano de 2011.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Sem ponte para atravessar Rio agricultores utilizam jangada motorizada na zona rural de Uruará

Sem ponte para atravessar Rio agricultores utilizam jangada motorizada na zona rural de UruaráDesde o dia 15 de março de 2015 quando a ponte sobre o Rio Uruará desabou no travessão do km 165 sul, zona rural de Uruará, os moradores das vicinais dos quilômetros: 165, 160, 155, 150 e 147 todas do lado sul da Transamazônica, vem enfrentando grandes dificuldades para terem acesso a BR ou a sede do município.
 Para poderem atravessar o Rio, que tem uma largura e profundidade considerável, os agricultores precisam utilizar uma jangada motorizada feita rusticamente de madeira e ainda pagam entre 4 e 10 reais para atravessarem. Ainda não há previsão de quando a ponte será refeita e estará pronta para ser utilizada, uma obra que pode demorar cerca de 6 meses para ser concluída que ainda não foi iniciada, apesar da urgência.
 São centenas de famílias que estão quase isoladas e impedidas de escoar a produção de suas propriedades.
As imagens dizem mais que as palavras.

sexta-feira, 20 de março de 2015

Operação conjunta da Polícia Civil e Polícia Militar de Uruará prende integrantes da quadrilha de assalto a banco

Operação conjunta da Polícia Civil e Polícia Militar de Uruará prende integrantes da quadrilha que assaltou a agência do Banco da Amazônia de Placas
Por Joabe Reis

Operação conjunta da Polícia Civil e Polícia Militar de Uruará prende integrantes da quadrilha que assaltou a agência do Banco da Amazônia de Placas
Três integrantes da quadrilha que assaltou a agência do Banco da Amazônia da cidade de Placas foram presos nesta sexta-feira, 20, no município de Uruará. A prisão foi efetuada pelos Investigadores de Polícia Civil, Sílvio Alex e Célio Salvador sob o comando do delegado Walison Damasceno, lotados na Delegacia de Polícia Civil do município de Uruará com o apoio da Polícia Militar sob o comando do major PM Márcio Abud e da Rotam. Segundo informou o investigador Sílvio Alex os assaltantes estavam em um carro saveiro e duas motocicletas broz, houve troca de tiros dos policiais com os assaltantes na rodovia Transamazônica (BR 230), próximo ao Distrito Alvorada, km 140 na zona rural de Uruará, após a troca de tiros os bandidos embrenharam-se na mata, os policiais civis contando com o reforço de policiais militares entraram em perseguição e durante a madrugada prenderam o meliante, Fernando Matos, 22, mecânico na cidade de Altamira, que dirigia o saveiro dando fuga aos assaltantes, segundo o próprio meliante ele é da cidade de Altamira como são todos os demais integrantes da quadrilha. Os policiais permaneceram no encalço dos bandidos e já na manhã desta sexta-feira, por volta das 11 horas, os policiais civis e militares e Rotam lograram êxito na missão conseguindo capturar mais dois integrantes da quadrilha do assalto ao banco de Placas, foram presos também, Weliton Almeida Costa, 31 anos, que disse ser ajudante de pedreiro na cidade de Altamira e Cleisson Silva Duarte, 24 anos. Com os meliantes foram apreendidas armas de grosso calibre utilizadas no assalto, 3 espingardas calibre 12 de repetição, 1 metralhadora 9mm e 1 fuzil para fal calibre 762. Outros dois integrantes da quadrilha que estavam em duas motocicletas bor’z conseguiram fugir pela Transamazônica e em seguida entrando num travessão sendo o paradeiro deles ainda desconhecido.
 Equipe de policiais que realizaram as prisões
Os três presos foram conduzidos para a delegacia de Polícia Civil de Uruará para serem submetidos aos procedimentos cabíveis. Na Depol o meliante Fernando contou que receberia uma quantia de R$ 20.000,00 para vir buscar os assaltantes em Uruará. O meliante Weliton relatou a reportagem que um malote com o restante do dinheiro roubado ficou para trás no meio do mato, fato não confirmado pela polícia, o mesmo ainda confessou que era responsável pelas armas, o assaltante não quis informar sobre quem é o chefe da quadrilha nem como conseguiram as armas.
 Armas apreendidas
As armas foram encontradas enterradas no meio da mata. Os dois assaltantes presos na manhã desta sexta-feira estavam pedindo carona no km 150 da Transamazônica comunidade chamada Vila Planalto, zona rural do município de Uruará, eles estavam se passando por colono na localidade quando foram presos.
 Assaltantes presos: Weliton, Cleisson e Fernando
Participaram da operação que resultou na prisão dos assaltantes os policiais civis IPC Sílvio Alex e IPC Célio Salvador, sob o comando do delegado Walison Damasceno, os policiais militares, sargento PM Rita Costa, soldados, PM Wagner, PM Josiney, PM Campinas, PM Bentes, sob o comando do major PM Márcio Abud, os policiais sargento Robson, cabo André, soldado Bastos e soldado Iglesias da Rotam.
Veículo usado para a fuga que seria alugado na cidade de Altamira e está apreendido
Os três presos estão recolhidos na carceragem da delegacia de Polícia Civil de Uruará.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Escolas funcionando em taperas no município de Uruará refletem o valor que a educação recebe do governo

Escolas funcionando em taperas no município de Uruará refletem o valor que a educação recebe do governo
Por Joabe Reis
Escolas funcionando em taperas no município de Uruará refletem o valor que a educação recebe do governo
A desvalorização que os profissionais da educação têm sofrido com cortes salariais nos últimos meses também é sofrida pelas escolas das comunidades na zona rural do município de Uruará, sudoeste paraense. São taperas de palha de palmeiras ou pequenas casas rústicas de madeira os prédios utilizados como salas de aula onde dezenas de alunos têm que sentar em bancos improvisados e os professores são obrigados a escrever em quadros negros que deveriam estar no lixo. A água para as crianças beberem é colocada em potes alojados sobre cadeiras de madeira. A merenda escolar não existe.
 Escola Cecília Meireles
Como é o caso da Escola Cecília Meireles km 180 sul a 32 quilômetros do centro urbano, o prédio é uma tapera de palha de babaçu, onde funciona o Prointer atendendo a 15 alunos e ao lado desta escola funciona o Mais Educação que poderia ser chamado de menos educação.
 Escola Jacinta Maria da Conceição
Na Escola Jacinta Maria da Conceição km 200 norte a 76 quilômetros do centro urbano as paredes são de ripa de madeira refugada e as cadeiras duras de madeira carentes de substituição onde as crianças têm que sentar para assistir as aulas, condições semelhantes a da Escola Marechal Rondon também no km 200 norte na Comunidade Santa Fé, onde o quadro negro usado pelo professor é uma afronta a educação e ao educador.
 
 Escola Marechal Rondon
Alô governantes e parlamentares, a Educação merece mais atenção e total empenho, do contrário como será as nossas gerações futuras? O que está sendo feito com os recursos da educação?
Falta vergonha na cara da administração municipal para poder mudar essa deplorável e inadmissível realidade.
 
 Quadro negro usado pelo professor
Nesta quinta-feira, 19, centenas de profissionais da educação foram as ruas no estado do Pará protestar contra o governo do estado que tem abandonado a educação enquanto gasta centenas de milhares de reais com propagandas que não condizem com a realidade do estado.
 Locais onde são armazenada a água que as crianças têm que beber
 As imagens dizem mais que as palavras.

quinta-feira, 12 de março de 2015

Em 8 meses Banco da Amazônia de Placas é assaltado pela segunda vez

Em 8 meses Banco da Amazônia de Placas é assaltado pela segunda vez

Por Joabe Reis
Em 8 meses Banco da Amazônia de Placas é assaltado pela segunda vez
Na manhã desta quinta-feira, 12, bandidos fortemente armados assaltaram a Agência do Banco da Amazônia na cidade de Placas, sudoeste do Pará, na Transamazônica. O assalto ocorre 8 meses depois de ter acontecido o assalto a mesma agência no mês de julho de 2014.
O bando de posse de armas de fogo de grosso calibre chagou na cidade atirando e espalhando o terror na população.
A população ficou assustada com a ação dos bandidos. A populção que já está indignada com a falta de dinheiro nos caixas do banco.
Durante o assalto os bandidos, todos encapuzados, firam um escudo humano em frente a agência. 
Cartuchos deflagrados usados pelos assaltantes 
Um trator foi colocado sobre uma ponte na saída da cidade em direção da cidade de Rurópolis obstruindo a passagem o que obrigou os bandidos a mudarem a rota de fuga tomando a direção da cidade de Uruará utilizando como veículo de fuga uma hilux prata roubada.
Momento da fuga registrado por populares 
Os bandidos fizeram vários reféns durante a fuga, entre os reféns o ex-prefeito do município de Placas Maxuel Brandão a quem pertence a caminhonete roubada usada na fuga.
Ainda não se sabe a quantia roubada no assalto.
Todos os reféns foram liberados horas depois, exceto um dos vigias da agência bancária. 
Durante a troca de tiros com a polícia um dos assaltantes foi baleado e levado para o hospital da cidade de Placas. Os bandidos saíram da Transamazônica e entraram no travessão 235. 
 Assaltante preso com identificação ainda desconhecida pela reportagem 
Os assaltos a banco na região já virou rotina e o pior de tudo isto é que os órgãos de segurança pública não fazem um esforço maior nem usam da sua capacidade total para coibir essa prática e prender os assaltantes, já que há vários anos vem ocorrendo assaltos com o mesmo modo operante dos bandidos e ninguém foi preso até hoje.

quarta-feira, 11 de março de 2015

Homem é executado em fazenda do município de Medicilândia

Homem é executado em fazenda do município de Medicilândia
Foto Polícia Militar: Vítima Cristier Silva dos Santos
No início da tarde desta terça-feira, 10, um homem foi executado a tiro numa fazenda da zona rural do município de Medicilândia. O crime ocorreu no travessão do quilômetro 80, estrada que dá acesso ao balneário do referido município, segundo informações de testemunhas repassadas pela polícia militar, dois indivíduos encapuzados renderam os ocupantes de um carro gol de placa JVO 6269 ano 2009 de cor vermelha, na hora em que estavam chegando na sede da fazenda, os ocupantes foram amarrados dentro da residência e os meliantes começaram a perguntar o nome de cada uma das pessoas e após sabem a identificação das vítimas os criminosos pegaram o cidadão Cristier Silva dos Santos levaram para fora da casa e em seguida o executaram com dois tiros sendo um na nuca e outro nas costas. Após cometerem o assassinato os criminosos fugiram no veículo das vítimas, o carro gol vermelho antes citado.
Foto Polícia Militar: Vítima Cristier Silva dos Santos 
A polícia trabalha com a linha de investigação de crime de acerto de contas, as investigações seguem em sigilo.

segunda-feira, 9 de março de 2015

La Salle deverá oferecer ensino médio em 2016 na cidade de Uruará

La Salle deverá oferecer ensino médio em 2016 na cidade de Uruará

Por Cirineu Santos/Joabe Reis da Regional 91.3 FM 

La Salle deverá oferecer ensino médio em 2016 na cidade de Uruará
A rede La Salle, está mobilizando a implantação de mais um curso do Ensino Médio para o Município de Uruará. O diretor da rede La Salle em Uruará, Ir. Dionísio Haab ressaltou que este curso do Ensino Médio no Município é um sonho para a população. 
Segundo ele, o processo está sendo iniciados junto a Sociedade Porvir Científicos - Rede La Salle e Ensino, que, Atualmente, está em mais de 80 países com as instituições lassalistas. “Estamos articulando junto à nova direção da Sociedade Porvir Cientifico, onde aguardamos o aval para darmos início à documentação de implantação do Ensino Médio no Município de Uruará no La Salle. A partir deste aval, vamos entrar em contato com a SEDUC. Nossa pretensão é que em 2016, iniciaremos com o Ensino Médio aqui na Rede La Salle”, informou.
 Ir. Dionísio Haab
O Ir. Dionísio Haab disse ainda, que está tendo o apoio da sociedade civil organizada. “A situação da educação no Município está muito difícil, principalmente do Ensino Médio, e, quando apresentamos a idéia de implantação, a mesma foi bem aceita pela população. Tivemos boa perspectiva e queremos levar em frente este projeto”, disse.  
Se o projeto der certo, a implantação do Ensino Médio pela Rede La Salle em 2016, oferecerá mais uma opção para os alunos serem atendidos com educação de qualidade na região ao invés de serem encaminhado para outro Município ou estado. 

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Aumento da gasolina e óleo diesel impactou o bolso do consumidor uruaraense

Aumento da gasolina e óleo diesel impactou o bolso do consumidor uruaraense

Por Cirineu Santos do Sistema Regional de Comunicão 

Aumento da gasolina e óleo diesel impactou o bolso do consumidor uruaraense
Proprietários de postos de gasolina e clientes no município de Uruará falam sobre o assunto e reclamam do aumento dos combustíveis.
A Petrobras anunciou na última quinta-feira (6) o aumento do preço de venda nas refinarias de 3% para a gasolina e de 5% para o diesel. A tributação sobre os combustíveis foi elevada a partir de domingo (1º), conforme decreto presidencial publicado no "Diário Oficial da União". 
De acordo com o Fisco, o impacto do aumento seria de R$ 0,22 por litro para a gasolina e de R$ 0,15 para o diesel. Porém, o aumento variou em postos diferentes.
O aumento da gasolina impactou no bolso do consumidor. Os postos de gasolina em Uruará tiveram queda de clientes considerada, como explicam os proprietários dos postos da cidade. 
Segundo o proprietário do Auto Posto Dado, Julio Cezar Farias Dias, a demanda de venda caiu muito. “A gente fica triste com a notícia. Caiu muito à demanda de cliente. Ainda mais porque chegou ao período de inverno. Está muito difícil! Dá vontade de fechar as portas e ir embora”, disse. 
Para o proprietário do Auto Posto Estrela, Bruno Rafael Campelo Barros, o aumento do combustível trás um grande prejuízo para a região. “Depois que eu assumi o Posto, já teve quatro aumentos. Todos fomos prejudicados. Estamos à mercê do governo”, comentou. 
O gerente do Auto Posto Mandriki, Sérgio Henrique de Souza, disse que o aumento do combustível pegou todos de surpresa. “Fomos pegos de surpresas! E a tendência é diminuir o número de clientes, causando grande prejuízo para a região”, explica. 
O motorista Renato Aparecido Pereira, caminhoneiro há mais de 20 anos, morador do Bairro Pimentolândia, da cidade de Uruará, o aumento do petróleo causou grande impacto, lhe causando prejuízo considerado de mais de 800 reais. “Está ficando cada vez mais difícil fazer frete. Tivemos prejuízos de mais de 800 reais em cada viagem realizada”, comentou.  
Werli Inácio da Silva há mais de 18 anos na profissão de caminhoneiro disse que, em sua profissão nunca viu o preço do diesel aumentar tanto. “durante todo o tempo que trabalho como caminhoneiro, nunca vi o preço aumentar tanto. Nós pagamos um preço absurdo nesta região. Além do aumento do combustível temos as péssimas condições das estradas”, aponta. 
Reginaldo Francisco, do Estado de Minas Gerais, que trabalha como caminhoneiro há mais de 22 anos, disse que em nossa região o combustível ficou ainda mais caro, e, que não compensa mais fazer frete. “Eu viajo em todos os lugares do Brasil e o mais caro ficou aqui nesta região. O combustível sobe, mas, o frete não”, disse. 
Para o presidente da Cooperativa dos Taxistas de Uruará, Ariston Rosa dos Santos, o aumento do combustível refletiu negativamente para a população. “Isso traz um reflexo negativo para todos. O custo de manutenção de um veículo é alto, e, com o custo do aumento do combustível, este custo aumentou. Como não podemos ficar no prejuízo somos obrigados a aumentar na taxa de corrida, impactando no bolso do consumidor”, explica. 
A cooperativa dos Transportes Alternativos da Transamazônica, Cootait, maior empresa de transportes de pessoas desta região, também sofreu com o aumento do combustível. Segundo o motorista Sebastião Pedro Sales, este foi o maior impacto que a empresa teve, ainda mais porque o aumento do combustível chegou ao período do inverno. “Muita dificuldade nas estradas com a chuva. Estamos pagando caro com o combustível e fica difícil para todos”, explicou. 
Para a Associação dos motos taxistas de Uruará, é possível que a corrida também aumente. Josimar Augusto de Assis, presidente da Associação disse que cerca de 40 associados foram prejudicados. “Somos obrigados a aumentar mais o preço de uma corrida. Pois só na nossa associação foram 40 moto taxistas prejudicados”, concluiu.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Bandidos fortemente armados assaltam agência do Banco da Amazônia em Rurópolis

Bandidos fortemente armados assaltam agência do Banco da Amazônia em Rurópolis

Bandidos fortemente armados assaltam agência do Banco da Amazônia em Rurópolis
A audácia dos bandidos parece não ter limite na região da Transamazônica. Na manhã desta quarta-feira, 11, um bando fortemente armado invadiu a agência do Banco da Amazônia na cidade de Rurópolis (PA) e assaltaram a agência fazendo vários reféns, inclusive levando vários desses reféns na fuga. Durante a ação dos bandidos houve muitos tiros e a população ficou assustada. O bando fez um escudo humano em frente a agência enquanto recolhiam o dinheiro. 
Ainda não há informações sobre o valor levado pelos assaltantes.


Investigadores de Polícia Civil de Uruará reagem a assalto e matam assaltante em Belém

Investigadores de Polícia Civil de Uruará reagem a assalto e matam assaltante em Belém

Investigadores de Polícia Civil de Uruará reagem a assalto e matam assaltante em Belém
Um assaltante morreu e dois ficaram feridos após tiroteio na tarde desta terça-feira (10) no bairro do Umarizal, em Belém. De acordo com informações da Polícia Civil, os investigadores, Sílvio Alex e Célio Salvador, reagiram com tiros à abordagem de dois homens em uma motocicleta, durante uma tentativa de assalto.
Os dois assaltantes foram baleados e encaminhados ao Pronto Socorro do Umarizal, mas um deles não resistiu aos ferimentos e morreu. Um dos investigadores, Sílvio Alex, também foi atingido por um tiro de raspão no braço, mas está fora de perigo.
 Braço atingido do investigador Sílvio Alex
Os policiais civis envolvidos no caso são lotados na delegacia de polícia civil de Uruará, Pará e estavam de folga em Belém. Após o tiroteio, ambos se apresentaram na Divisão de Homicidios da Polícia Civil. 

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Prefeitura de Uruará fecha CEJAP e prejudica 400 alunos

Prefeitura de Uruará fecha CEJAP e prejudica 400 alunos
 Foto tirada ainda na época da administração do ex-prefeito Eraldo Pimenta
O Centro de Educação de Jovens e Adultos Personalizados (CEJAP), a partir desta segunda feira, dia 09 de fevereiro, terá suas atividades encerradas, prejudicando pelo menos 400 alunos da rede municipal de ensino que não terão onde estudar. 
A professora Florinda Maria Damo, há mais de 22 anos na educação em Uruará, disse estar bastante surpresa com a ordem da SEMED de fechamento do CEJAP. “Ficamos indignados com a notícia do fechamento do CEJAP. Por vários momentos queriam fechar este Centro, que em 1985 ainda chamava Unidade de Ensino Supletivo (UES) e, que em 2011 mudou o nome para CEJAP. Gostaria que as autoridades refletissem nesta decisão, especialmente olhasse para a situação do aluno. São alunos que dependem desta escola para sua formação e, onde muitos já estudaram um ano e vão perder seu tempo de estudo. Estou muito triste com esta notícia”, desabafou.
Quem também está indignado, é o professor Sólon Matos que falou sobre o quanto o CEJAP ajudou na formação de muitos alunos no Município. “O que mais dói é saber que os alunos do travessão irão ficar sem estudar, muitos vem de longe. Outra coisa é a questão do investimento aplicado aqui e agora recebemos esta notícia de encerramento das atividades. Este Centro que já formou muita gente”, disse. 
O professor Antonio Barbosa, conhecido como Toninho, recebeu com muita tristeza a notícia do CEJAP. “A notícia de encerramento do CEJA impactou a todos nós e alunos. Sugiro que a SEMED pense no caso e procure alternativas para atender os 400 alunos que ficaram sem estudar e sem perspectiva de continuação de ensino”, disse Toninho. 
O secretário Municipal Educação de Uruará, Wilson Nascimento, explicou que o fechamento do CEJAP no Município foi uma ordem do Governo do Estado e que não há possibilidade de manter em funcionamento o Centro de Educação de Jovens e Adultos Personalizados no Município. 
Segundo ele “o Estado sinalizou via documento que o CEJAP não se autoriza com a grade curricular desenvolvida. E para nós não é interessante transformar o CEJAP em EJA. Tivemos que fechar o Centro, mediante no futuro não podermos expedir a documentação dos alunos. Estamos estudando uma forma legal para que possamos atender, mas temos que fazer toda uma documentação”, disse.
O aluno Eli Gonçalves Ferreira, recebeu a notícia do encerramento do CEJAP com muita tristeza e disse estar revoltado com a atitude da Prefeitura. “Muito ruim receber esta notícia. Quando eu era novo não tive a oportunidade de estudar e, quando apareceu esta chance, me dediquei de corpo e alma. E, após um ano estudando, vem uma notícia desta, de que as atividades do CEJAP havia se encerrado. Estou muito revoltado! Uma administração que não se preocupa com a educação do Município. Estou indignado com este prefeito. Eu que sou pioneiro e vejo o município abandonado pela atual administração”, desabafou. 
O aluno Antonio Martins de Sousa, conhecido como Zicão, também manifestou sua indignação. “Aprendi muito com os professores do CEJAP. Mas fiquei surpreso com a notícia do encerramento do Centro. Sugiro que os responsáveis busquem alternativas e não nos deixe desorientados”, sugeriu. 
Por outro lado a Câmara Municipal de Vereadores foi pega de surpresa com a notícia. O vereador Zenilson Negão disse que estará tomando medidas cabíveis para que os alunos não sejam prejudicados. “O CEJAP é de fundamental importância para o Município. Beneficiou muitas pessoas, especialmente aos alunos da zona rural. O fechamento do CEJAP em Uruará é inaceitável. O Executivo tem que tomar providências para atender estes quatrocentos alunos e não deixá-los fora da sala de aula. Estaremos tomando medidas cabíveis para que os alunos não sejam prejudicados”, disse Negão. 
O vereador também criticou a administração municipal. “Estamos entrando no terceiro ano de governo e só tem demonstrado a falta de competência e falta de respeito com a população de Uruará. O prefeito não valoriza a educação. Não valoriza a saúde. Não tem compromisso com a população uruaraense”, disparou. 
O vereador Gilmar Milanski, ressaltou que assim que a Câmara Voltar suas atividades, dia 15 deste mês, será uma das primeiras pautas a ser colocada em discussão. “A princípio ainda não sei o motivo em que levou a Secretaria de Educação encerrar as atividades do CEJAP. Fomos pegos de surpresa! Uma coisa é clara, o Centro atendia cerca de 400 alunos, em sua maioria, adultos, pais e mães de família que não podem ser deixados abandonados. A Secretaria de Educação tem que oferecer alternativas para que estes alunos continuem estudando. Vamos apurar esta questão e rever esta situação do CEJAP. Assim que retornarmos nossas atividades dia 15 de fevereiro, iremos colocar este assunto como uma das primeiras pautas a ser abordadas pelos vereadores, visando garantir o direito de estudo destes alunos que freqüentavam o CEJAP”, finalizou Gilmar Milanski. 
Reportagem de Cirineu Santos da Rádio Regional 91.3 FM de Uruará, PA.

Obra de asfalto não concluída causa alagamentos em casas da zona leste da cidade de Uruará

Obra de asfalto não concluída causa alagamentos em casas da zona leste da cidade de Uruará
O início do inverno amazônico já começa a causar transtornos na cidade de Uruará. Com as chuvas que caíram sobre a cidade neste domingo e nesta segunda-feira á água já começa a invadir as casas da Rua das Mangueiras no Bairro do antigo Aeroporto, zona leste da cidade. A obra não concluída do asfalto acabou colaborando para que a água deixasse de escorrer pelo bueiro e passasse a alagar os quintais e residências.
 Há informações de que em outros pontos da cidade a situação se repete.
Com o aumento das chuvas os prejuízos materiais poderão começar a surgir se nada for feito pela administração municipal para solucionar o problema.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Vandalismo danifica patrimônio público de Uruará

Vandalismo danifica patrimônio público de Uruará e ginásio fica em estado de abandono
Quem te viu quem te vê! O atual estado de abandono da área externa do Ginásio Poliesportivo Eduardo Nicolini, no centro de Uruará, é lamentável. O Eduardo Nicolini foi o primeiro ginásio construído no município e inaugurado no governo do ex-prefeito Eraldo Pimenta no seu primeiro mandato (2005/2008), a área externa do ginásio oferecia um bom ambiente para as crianças se divertirem com um playground com brinquedos como escorregador e balanço.
Atualmente o mato está tomando conta do espaço, os brinquedos estão danificados, vários bancos da área foram quebrados e o mais grave, as placas de fundação, com o registro histórico dos nomes de pessoas que contribuíram para a construção do principal local de prática de esportes do município, foram violadas e furtadas. O ato de vandalismo, de verdadeira violência com o patrimônio público, deveria ser tratado como caso de polícia e os responsáveis por tal ato deveriam ser presos e punidos, e mais, banidos do município.
A Praça do Ginásio também está em estado de abandono, o que antes era bonito já não chama mais a atenção.
“Fiquei triste com a situação em que se encontra o parquinho do Ginásio Municipal. Bancos quebrados, todos os balanços estragados e ainda retiraram todas as placas que registram a inauguração. Um desrespeito com o passado, pois destruíram o registro histórico e um desrespeito com nosso futuro com a falta de manutenção desse espaço destinado a nossas crianças”, disse o internauta, Simon Greic Lino de Souza, em sua conta da rede social.




sábado, 24 de janeiro de 2015

Pai da pequena uruaraense, Evelly Reis, faz agradecimentos aos apoios recebidos

Pai da pequena uruaraense, Evelly Reis, faz agradecimentos aos apoios recebidos
Ela foi uma guerreira, Evelly de Aguiar Reis, de apenas 3 anos de idade, lutou bravamente contra o câncer, um tipo chamado Neuroblastoma em estágio 4, mas infelizmente a batalha foi muito grande para ela, que depois de seis meses hospitalizada, no Hospital Regional do Baixo amazonas em Santarém, não resistiu as conseqüências do tratamento e acabou nos deixando na segunda-feira, 19 de janeiro. A luta da pequena Evelly foi acompanhada por centenas de pessoas na rede social na internet.  Filha de Elói da Vitória Reis e Adriana de Aguiar, Evelly era uma uruaraense alegre e sorridente.
Passados 4 dias de sua morte nós conversamos com o pai dela nesta sexta-feira, Elói nos contou um pouco de como foi os seis meses de tratamento e faz agradecimentos aos apoios recebidos. “Foi uma grande perda pra toda a família e a gente fica muito sentido, pois ele vinha correspondendo bem ao tratamento e de repente ela chegou a esta situação e aconteceu o que aconteceu. Foram seis meses de luta e não foi fácil, tinha noites que a gente passava acordado em dias de sofrimento da minha filhinha, era de cortar o coração, mas ela superava esses momentos. Minha filha foi uma grande guerreira. O caso do câncer dela já estava em estágio avançado quando descoberto, os médicos diziam que as chances eram poucas de sobrevivência, mas fariam o que fosse possível para ela sobreviver. Ela passou por quatro ciclos de quimioterapia e um de urgência. O tratamento dela seria de aproximadamente de oito meses a um ano com oito ciclos de quimioterapia, ela seria submetida a cirurgia na metade desse ciclo que seria entre o final de dezembro e início de janeiro, mas devido as infecções que ela acabou contraindo não foi possível realizar a cirurgia. Nos dois dias antes dela falecer ela vomitou sangue, sentia muitas dores no abdômen. Os médicos bateram um raio X dela e constataram que era sangue que ela tinha por dentro e o sangue acabou tomando conta do pulmão direito dela aí veio a parada cardíaca, os médicos ficaram das 8h da manhã até as 9h e 30 minutos da segunda-feira, 19, tentando reanimá-la, mas infelizmente não conseguiram e ela acabou falecendo. Em laudo os médicos disseram que a causa da morte foi uma hemorragia pulmonar. Durante esse período em que minha filha esteve em tratamento muita gente nos ajudou, pessoas que a família nem conhece, quero aqui agradecer de coração a todas essas pessoas que nos ajudaram, não tenho nem palavras para agradecer a não ser obrigado, pois a luta foi grande e cada ajuda foi muito importante. A gente tinha esperança de que a neném pudesse passar por esta estar aqui conosco, mas infelizmente Deus quis ela ao lado Dele. Ela era uma criança muito alegre”, disse Elói com lágrimas nos olhos.
O corpo de Evelly foi sepultado no cemitério municipal de Uruará na terça-feira, dia 20 de janeiro.